Bom Dia - O Diário do Médio Piracicaba

notícias

17/03/2014 18h52

Dieta Paleolítica

Compartilhe

 

A nova onda dietética para perder peso é comer o que nossos ancestrais consumiam na pré-história. Estou falando da dieta paleolítica, ou dieta neandertal, é a dieta dos homens das cavernas. O imperativo aqui é comer apenas alimentos naturais de fonte animal e vegetal. A proposta é alimentar daquilo que se pode caçar, coletar ou tirar da terra. Essa febre chegou ao Brasil e já conquista muitos seguidores por aqui. Será que funciona?

Menu das cavernas

O cardápio paleolítico inclui carne de qualquer tipo, legumes, verduras, tubérculos, frutas e nozes com moderação. É a volta da alimentação pré-histórica, antes do surgimento da agricultura. È indicada para evitar e até curar: diabetes, distúrbios metabólicos, problemas do coração, obesidade e perder peso. Estão excluídos desta forma de alimentação quaisquer vegetais que cresçam dentro de vagens (feijão, soja, ervilha, amendoim), cereais (como milho, aveia e trigo), carboidratos, produtos processados e açúcar. Há variações entre os paleodiets, desde os radicais aos mais liberais que permitem o uso de leite e derivados, ou bebidas alcoólicas, com moderação.

Tem que malhar

Para os seguidores, ser “páleo”, como dizem, é um estilo de vida e não só uma dieta. Afirmam que é essencial incluir um programa de exercícios físicos. De acordo com os adeptos, quem a segue fica tão satisfeito com os resultados que vira catequizador.

Geneticamente adaptados

Construída sobre os princípios da medicina darwiniana, este conceito nutricional é baseado na premissa de que os humanos estão geneticamente adaptados para a dieta dos seus ancestrais paleolíticos e que a genética humana pouco mudou desde o tempo do surgimento da agricultura. Segundo seus defensores, a dieta ideal para a saúde deve parecer-se com a dos nossos ancestrais paleolíticos. Os antepassados do homo sapiens estam na Terra há mais de 2 milhões de anos, e a agricultura foi desenvolvida há menos de 10 mil anos, o que corresponde a apenas 0,5% do tempo da nossa existência. A agricultura, portanto, é muito recente do ponto de vista evolutivo, e é por isso que supostamente estamos geneticamente adaptados à alimentação primitiva do período paleolítico. Para justificar esta viagem gastronômica ao passado, eles afirmam que essa é a alimentação para a qual nosso organismo foi moldado por milhões de anos de evolução.

Muita carne, gordura liberada e nada de grãos

Por outro lado, longe de ter aceitação unânime, a dieta paleolítica é criticada por muitos. Os pontos mais controversos são a total liberação de carnes e a exclusão dos grãos. Outro fator é a total desconstrução da pirâmide alimentar contemporânea, que tradicionalmente tem como base os cereais, pães, tubérculos e raízes. Médicos americanos dizem que essa dieta não é indicada para quem já tem índices altos de colesterol. Segundo eles, uma dieta rica em gordura tende a aumentar drasticamente os níveis de colesterol e eleva o risco de doenças cardiovasculares.

Nem defensor, nem crítico

A dieta paleolítica é uma forma de alimentação que está ganhando muitos adeptos em todo o mundo. Como tudo nessa área, ela tem seus defensores e críticos. É uma dieta onde sua filosofia se ampara na história da evolução humana. Muitos adeptos tem conseguido perder peso, melhorar a saúde e até curar doenças. Só que o ser humano está em constante evolução. Seria certo cerciar a evolução alimentar, em um mundo hoje com muito mais indivíduos e tecnologia? É certo banir pizzas, massas, feijoadas, strogonofs, sanduíches do nossso cardápio atual?  Acho que a diferença do veneno para o remédio é a dosagem e além disso cada ser humano é unico em identidade e formação. Tem gente que tem intolerância a glutém, lactose, carne, peixes, etc. É importante respeitar os diferentes tipos de organismo, procurar nos conhecer melhor e observar o que faz bem e mal para cada um. A realidade social atual é outra, as tribos de hoje são bem maiores e a população mundial é de 7 bilhões de indivíduos. O desmatamento cresce junto com os crimes ambientais, diminuindo nossas fontes alimentares. Os grãos também desempenham importante lugar na alimentação humana, tanto em sabor quanto em nutrição e saúde. Na minha opinião ainda é cedo para fazer afirmações contra ou a favor sobre a dieta das cavernas.

Atenção: Qualquer dieta deve ser orientada e acompanhada por um médico ou nutricionista.

Tiradas do Coronel Machado: Inteligente é aquele que sabe que não sabe nada.

Gastronomia & Alquimia, uma pitada de cultura no seu paladar.

Luciano Estivalet

 

Bom Dia Online- Copyright © 2013. Todos os direitos reservados.

by Mediaplus