Bom Dia - O Diário do Médio Piracicaba

notícias

07/05/2021 09h04

SER MÃE E SER MULHER

Quando o bebê nasce e demanda o nosso corpo, necessitamos de um período para nos encontrar. Talvez por isso a sexualidade acabe ficando em segundo plano quando assumimos esse novo papel.Cláudia Pacheco

Compartilhe
z

Ser mãe é o sonho de muitas mulheres. Quando vem o resultado positivo da gravidez vem junto a ideia da família e o início de uma nova etapa na vida amorosa. E a maternidade muitas vezes é romanceada e se não for bem entendida e trabalhada pode acabar afetando a vida conjugal e a sexualidade feminina por diferentes motivos.

Essa é uma grande questão que acaba atingindo muitas mulheres quando se tornam Mães. Acabam esquecendo do seu lado Mulher.De um lado, a imagem santificada da mulher, e do outro, o tesão, e em meio a tantas cobranças, insegurança e medos, buscar o equilíbrio se faz necessário, afinal, dentro dessa mãe, existe uma Mulher.

Ter filhos muda nossa vida; também a sexual. Cerca de 47% das mulheres e 43% dos homens acham que seus relacionamentos íntimos pioraram, segundo uma pesquisa publicada em 2018. Como afirma o estudo, o desejo sexual diminui em 61% das mulheres e em 30% dos homens depois de colocar filhos no mundo. A frequência de relações sexuais dos casais diminui em 47%. E não apenas por falta de desejo: encontrar o momento acaba sendo complicado. Cerca de 63% delas declaram “difícil ou muito difícil” ter privacidade quando a criança está acordada.

“A principal consequência [de ter filhos] é uma alteração da rotina sexual espontânea do casal; já na gravidez ocorre uma mudança no padrão de relacionamento”, afirma o psicólogo e terapeuta de casais Juan Macías. Essa alteração obedece a fatores físicos e psicológicos.

Em alguns casos, quando a mulher retoma sua vida sexual após a maternidade, muitas vezes ela pode ter alguma dor ou desconforto, diminuição da lubrificação vaginal e da libido em função da condição orgânica. Mudanças como diminuição na frequência, falta de vontade, cansaço e indisposição para o sexo vem junto com a necessidade de dar mais atenção ao bebê. Isso pode acabar em uma disfunção sexual, e muitas vezes a falta de compreensão e parceria dos maridos ou companheiros, ajuda a piorar o relacionamento e consequentemente a relação sexual.

Sem falar nas alterações hormonais, a sobrecarga dos cuidados com o bebê e a pressão dos padrões de beleza, que são sempre cansativos para as mães e afetam o modo como percebem e vivem sua sexualidade.

Vale lembrar que, não são apenas as mães recentes que precisam cuidar da sexualidade. A mulher precisa entender que ela tem diferentes papéis em sua vida. Ela não é apenas mãe. A maternidade é parte do seu dia, mas não a define por completo. A mulher também é filha, amiga, profissional e amante. Por isso, por mais que a rotina esteja puxada e os cuidados com os filhos seja cansativa, é importante separar um momento do dia para ficar a sós com o parceiro e manter a paixão acesa. De acordo com os estudos, não há uma receita pronta – cada casal tem a sua –, mas a mãe/mulher que é feliz, se sente amada e está satisfeita sexualmente, com certeza fará seu filho também feliz.  Principalmente nos primeiros meses que os cuidados exigem mais da mulher, o casal precisa encontrar e definir um plano para evitarem um desgaste na relação enquanto casal e também na hora do sexo.

Dica:sempre quando atendo mulheres que vem reclamando da falta de libido e principalmente de não quererem fazer sexo, pergunto há quanto tempo ela e o marido não tem um tempo só deles, há quanto tempo não saem sozinhos, para namorarem, e infelizmente escuto: “Nossa! Desde quando o bebê nasceu ou os bebês nasceram, não saímos sozinhos, não temos um tempo só nosso...dessa forma, oriento, a deixarem o(os) Bebê(s) com alguém de confiança e saírem só os dois para namorarem, inclusive para terem um tempo só dele, resgatar a cumplicidade, e peço por favor, esqueçam de tudo, hora de Namorar .

Sei que estamos em um momento delicado devido a pandemia, mas, se possível tentem sair os dois sozinhos(pelo menos 2 horinhas),façam disso um compromisso mensal, dessa forma o casal terá um tempo só para eles, um tempo de muitos amassos, beijos na boca (nada de selinhos, beijo mesmo, aqueles de tirar o folego), muito carinho, muito olhos nos olhos, há... o final fica a cargo da sua imaginação, que é o grande ponto para reacender a chama e esquentar os lençóis...

Vem cá, aproveita o dia das mães e faça uma bela surpresa de amor, elogios, carinhos e muito sexo, com ela, a mulher que é sua companheira e também a mãe dos seus filhos!E lembra do presente e por favor não me venha com panela. Rrrrss

Nádia Guimarães

Sexóloga e Consultora em Saúde e Educação Sexual

Bom Dia Online- Copyright © 2013. Todos os direitos reservados.

by Mediaplus