Bom Dia - O Diário do Médio Piracicaba

notícias

12/12/2020 06h45

Yara Drumond: drag queen monlevadense é destaque em programa do SBT

Yara Drumond: drag queen monlevadense é destaque em programa do SBT

Compartilhe
O CENÁRIOS dessa semana conversou com YURI e YARA DRUMOND. Uma entrevista dupla? De certa forma sim! Yuri é um artista monlevadense e Yara sua personagem DRAG QUEEN, que se prepara para uma apresentação no SBT, emissora que pertence ao grande comunicador Silvio Santos. Mas vamos à entrevista.
 
CENÁRIOS - A Yara Drumond é o personagem. Mas qual o nome na carteira de identidade?
YURI - Yara é um personagem criado em 2018. Meu nome na identidade é Yuri Drumond D’anunciação Martins.
 
CENÁRIOS - Pra esclarecer para os leitores: qual a diferença entre DRAG QUEENS, TRANSEXUAIS ou TRANSGÊNERO? 
YURI - Transexuais são pessoas que fazem mudanças de sexo e transgeneros são pessoas que dormem e acordam mulher, são homens que se vestem e agem como mulher, embora tenham orgãos sexuais masculinos, gostam de ser tratados como mulheres. E tem as Drag Queen. São homens que vestem no dia-a-dia de forma normal, do jeito que se sentem melhor e tem um personagem, que no caso é a Drag Queen que é um personagem artístico. Nós brincamos que somos moleques de peruca. Nós fazemos arte. É muito diferente de ser transexual ou transgênero. 
 
CENÁRIOS - No dia-a-dia você se veste como Yara ou utiliza o figurino masculino, como Yuri?
YURI - Eu me visto como Yuri, mas de uma forma que eu gosto de me vestir. Eu me visto como Yuri inclusive por que eu sou Yuri. A Yara é só um personagem. 
 
CENÁRIOS - Quais as suas qualidades enquanto artista? Canta? Dança?
YURI - Eu danço, eu canto, eu atuo, eu toco bateria, toco teclado, jogo vôlei, handebol. Pra mim não tem problema. Eu sou autodidata. Tenho facilidade de aprender e o que vier enquanto arte pra mim é maravilhoso. Eu sempre estudei dança na escola Rose Machado, desde os 6 anos. Eu nunca parei de dançar, mas amo dançar, amo atuar. Fora da área da arte, tenho curso de RH, departamento de pessoal. Mas eu amo mesmo é a arte.
 
CENÁRIOS - Você desde cedo teve esse fascínio por se caracterizar dentro dos padrões femininos ou isso é mais ou menos recente?
YURI - Sim. Desde quando criança sempre gostei de colocar blusas na cabeça, roupas da minha mãe, da minha irmã. E fazia qualquer coisa de microfones, desodorantes, qualquer coisa. Eu amava Angélica e Britney Spears. Eu sempre quis ser elas (rs). E achava que aquele quarto era um palco. Eu gostava de me caracterizar, mas não pra vida sabe? Eu gostava também de tirar a blusa, de guardar o microfone, de tirar o salto. Essa coisa de ser Drag é mais uma coisa de artista que se veste de mulher, mas não pra ser trans. Eu acredito muito no Yuri Drummond também. 
 
CENÁRIOS - Qual a sua altura? Você acha que existe campo para as Drag Queens, para o mundo da moda por exemplo, para desfiles. Você já foi convidado para desfilar por alguma loja?
YURI - Eu tenho 1:85. Por enquanto ainda não tem campo pros Drag Queens. Não tem convite pra nada. Eu, Yara nunca fui convidado pra fazer desfile nem nada. Só mesmo quando você já chegou lá em cima. Pablo é convidada, Glória é convidada. Aqui em Monlevade eu acho que isso nunca vai acontecer... ou vai com essa nova gestão. Vamos ver.
 
CENÁRIOS - Você acha que a sociedade monlevadense tá mais aberta à diversidade ou ainda sente muito conservadorismo, muita recriminação social ao seu trabalho?
YURI - Eu acredito que hoje Monlevade tem muita gente da diversidade. Nós somos mais né. Hoje tem muita lésbica, muito LGBT. Isso fez com que esse conservadorismo diminuísse um pouco. Mas ainda há muita recriminação social ao meu trabalho. E pessoas que falam que são da inclusão, não tem coragem de ajudar. Se cada um de nós compartilharmos e darmos força para nossos amigos a gente consegue crescer. Mas a gente não se compartilha. É cada um com a sua luta. Ninguém se ajuda.
 
CENÁRIOS - Pablo Vittar, em termos de Brasil, ajudou a mudar o conceito que se tem sobre as Drag Queens. Sua simples existência demole velhos paradigmas. Ela gosta de ser como é, não quer mudar nada, não é trans. Mas quando “montada” prefere ser chamada de PABLO VITTAR. No seu caso, você transformou Yuri em Yara. D alguma forma, você se inspirou em Pablo Vittar?
YURI - Pablo Vittar não abriu. Ele esmurrou. Ele jogou no chão. Ele veio para mostrar que a gente pode ser cantora, que podemos ter um mercado Drag Queen. Ela é muito importante para as Drag Queens. Ela é uma inspiração total pra mim. Eu, assim como ela não vou mudar nada. E quando montada gosto de ser tratada como Yara. Pablo Vittar é foda. 
 
CENÁRIOS - Como é a relação das drags com o pessoal do outras orientações sexuais. Não existiria algum ruído nessa relação? Não existiria uma guerra fria entre alguns segmentos?
YURI - Atritos eu não diria. Mas sinto falta das casas de shows me convidarem para apresentações. 
 
CENÁRIOS - Como foi esse seu contato com o SBT? Como é que você conseguiu mostrar seu trabalho pra eles? Conte essa história pra gente.
YURI - Meu contato com eles vem de alguns anos. Em 2017 eu consegui fazer um contato numa turnê LGBT. Desde que criei a YARA em 2018, sempre mando minhas coisas para um contato que fiz lá. E agora me deram um retorno positivo. Será um programa de calouros que eu sempre quis ir. 
 
CENÁRIOS - Quando será a sua apresentação no SBT?
YURI - A minha gravação vai ser dia 17 de dezembro, em Contagem no programa Flash Minas, com participação também da Rose Machado Escola de Dança, onde estou, dou aulas lá, tenho uma turma lá as quintas-feiras, a turma Mix, que vai participar comigo. 
 
CENÁRIOS - O que você projeta para o futuro? Quais são os planos da Yara? 
YURI - Shows, com certeza. E o que puder mais. Desfiles, fotos, propaganda de loja, o que vier pra Yara será bem vindo. Eu quero também lançar uma música nova e poder me lançar como uma nova Drag Queen no mercado da música.
 
CENÁRIOS - Deixe seus contatos para quem quiser conhecer seu trabalho ou contratá-la para shows, desfiles, comerciais. Deixa seu insta, face, telezap... 
YURI - Contatos: ( 31 ) 984543034 / Instagram:  @yuridrumondoficial / Facebook: Yuri Drumond Martins 
Contato para aulas com Yuri Drumond na Rose machado escola de dança Turma Mix : (31) 975799858 Anna Flavia Martins Machado

Bom Dia Online- Copyright © 2013. Todos os direitos reservados.

by Mediaplus