Bom Dia - O Diário do Médio Piracicaba

notícias

27/11/2020 08h46

CONVERSANDO SEM TABÚ: A PRÓSTATA E SEUS MITOS

Nádia Guimarães (sexóloga)

Compartilhe
Muitos homens tremem só de ouvir a palavra próstata. Calma meus amigos! Não há razão para temor. Muito pelo contrário! O homem precisa é agradecer a Deus pela sua próstata, fundamental para a procriação da espécie. É onde é fabricado o esperma. E está relacionada também ao prazer sexual. O primeiro temor que os homens tem é do toque retal, por recato ou preconceito. Em segundo lugar pelo medo de terem de retirar a próstata, por causa do mito de que quem opera perde o desejo sexual,o que não corresponde à realidade, como veremos na sequencia do texto.
A sexualidade é um tema que preocupa muito o homem com câncer de próstata. Que informação é preciso dar a esse paciente?
De modo geral, o sexo não vai mudar. Na verdade, o homem só vai deixar de ejacular por conta da retirada da próstata, da vesícula seminal, ficando assim infértil. O orgasmo não muda, apesar de alguns homens associarem o orgasmo à ejaculação.
A primeira coisa que é preciso dizer ao homem que tem problemas depois do câncer de próstata é que muitos outros homens sofrem com a disfunção erétil e esse problema acomete 46% da população masculina no Brasil, em diferentes níveis, e isso tem tratamento.
Aos 70 anos, 13% dos homens não têm ereção e esses níveis são crescentes a partir desta idade. Então, o homem precisa entender que essa questão é uma condição muito frequente e que tem tratamento.
Alguns homens podem precisar de acompanhamento psicológico. Quando este homem conversa com um profissional, passa a entender exatamente o que está acontecendo e a conhecer as opções disponíveis. Aí, tudo fica mais fácil. Ele não tem que ter vergonha de comentar o assunto com seu médico, nem com a parceira.
Hoje, existem diversos recursos, desde comprimidos, até aparelhos, exercícios e como última alternativa a proposta da prótese.
Algumas vezes a parceira também precisa de tratamento. A mulher pode estar na menopausa, pode ter incontinência urinária ou dor durante a relação sexual por atrofia da vagina, que é presente na fase pós-menopausa. Tudo isso pode estar acontecendo ao mesmo tempo e não é só a cirurgia da próstata ou o tratamento do câncer. Todas essas questões devem e precisam ser avaliadas.É importante a mulher saber que para o homem o sexo continua sendo importante, mesmo com o envelhecimento. Entender esse momento e as alternativas para continuar sendo a companheira sexual deste homem, assim como ela é a parceira no dia a dia e a parceira no tratamento da doença.
Ter uma vida sexual ativa após o câncer, é possível. Sendo fundamental manter o tratamento com rigor e disciplina e sempre seguindo as orientações médicas.
 
NOVEMBRO AZUL - O MÊS É AZUL, MAS
O ALERTA É VERMELHO MENOS TABU E
MAIS AMOR PROPRIO, POR FAVOR!
 
Lembrando sempre: Prevenir é um Ato de Amor Próprio!

Bom Dia Online- Copyright © 2013. Todos os direitos reservados.

by Mediaplus