Bom Dia - O Diário do Médio Piracicaba

notícias

25/10/2019 08h52

Na luta pela vida: vítima de obesidade mórbida, monlevadense batalha há dez anos por cirurgia bariátrica

Na luta pela vida: vítima de obesidade mórbida, monlevadense batalha há dez anos por cirurgia bariátrica

Compartilhe
João Monlevade - A monlevadense Sirlânia Cristina Pinto, de 43 anos, moradora da rua Jordânia, no bairro Loanda, pede socorro. Sirlaine sofre com uma doença que afeta milhares de brasileiros e que vai muito além de uma questão meramente estética: a obesidade mórbida. 
Atualmente, Sirlânia pesa 165 kg e sofre com a grande debilidade provocada pela cruel doença, que a priva de várias atividades do dia a dia, já que mal consegue se locomover. O que também chama a atenção no caso de Sirlaine é que ela trava uma luta de mais de 10 anos para conseguir realizar a cirurgia bariátrica pelo Sistema Único de Saúde (SUS), sem sucesso. Em um procedimento médico realizado de forma particular, a cirurgia custa cerca de R$26 mil, valor inviável para a monlevadense.
Sirlânia, que tem cinco filhos e não consegue mais executar algumas tarefas básicas que fazia anteriormente, como levar seus filhos à escola, devido à dificuldade de locomoção, também já procurou a Prefeitura de João Monlevade para tentar realizar a cirurgia, mas ainda não conseguiu a autorização. Com a obesidade, aparecem outros problemas, como a hipertensão, complicações renais e problemas no nervo ciático, o que a leva a ter fortes dores na coluna e nas pernas, a impossibilitando de permanecer de pé por muito tempo. O preconceito também é um problema a ser enfrentado por quem sofre de obesidade mórbida, pois muitos acreditam que a pessoa é gorda por escolha ou puramente por comer muito e ser sedentária, o que não é a realidade.
O marido de Sirlânia é assalariado eles necessitam da ajuda de amigos e familiares para o dia a dia. “Estou nessa luta há dez anos e não é fácil. Estou na fila do SUS desde 2011 e até agora nada. Fiz diversos exames que foram perdidos no Pronto Atendimento. É uma batalha árdua. A obesidade mórbida é uma doença da qual não temos controle. Peço a ajuda de todos para conseguir resolver esse problema e desde já agradeço a todos. Conto com Deus e com o povo para me ajudar. São quase onze anos na fila para fazer uma cirurgia. É muita coisa. De acordo com o médico, minha saúde está muito debilitada e posso sofrer um infarto ou um AVC a qualquer momento”, afirma Sirlânia.
 
Campanha 
 
Amigos de Sirlaine se prontificaram a ajudá-la e, entre eles, está Mariléia Miranda, locutora da rádio Comunicativa, que junto ao parceiro e jornalista Chico Franco, deu o início no auxílio à Sirlaine através do programa Espaço Livre, da emissora. Mariléia, inclusive, criou uma “vaquinha virtual” através das redes sociais da internet e disponibilizou uma conta bancária para que as pessoas possam ajudar com doações. “A situação dela é crítica e ela não pode mais esperar pelo SUS, já que sua saúde está muito comprometida. Sendo assim, pedimos a ajuda e participação de todos que puderem contribuir através de nossa ‘vaquinha virtual’. Também temos a opção de fazer o depósito em conta. Toda ajuda é bem vinda, não importa o valor, seja R$1,00 ou R$100,00”, salienta Mariléia.
A radialista ainda lembra que os dados da conta bancária para quem quiser ajudar Sirlaine são: Banco do Brasil, Agência 2220-9, conta corrente 38.627-8, em nome de Mariléia Miranda, que também afirmou ter procurado pessoalmente a prefeita Simone Carvalho e alguns vereadores, mas ainda não obteve o retorno de nenhuma autoridade política do município.
A doença
 
A obesidade mórbida é uma forma de acúmulo excessivo de gordura no corpo, caracterizada pelo Índice de Massa Corporal (IMC) maior ou igual a 40 kg/m². É uma forma de obesidade classificada como muito grave, pois coloca em risco a saúde e tende a diminuir o tempo de vida do individuo.
A obesidade mórbida pode ser causada pela associação de vários fatores, entre eles, consumo exagerado de alimentos muito calóricos, com alto teor de gordura ou de açúcar, sedentarismo, pois a falta de exercícios não estimula a queima e facilita o acúmulo de gordura, distúrbios emocionais, que favorecem a compulsão alimentar, predisposição genética, pois quando os pais são obesos é comum que o filho tenha uma maior tendência a também ser e alterações hormonais. 

Bom Dia Online- Copyright © 2013. Todos os direitos reservados.

by Mediaplus