Bom Dia - O Diário do Médio Piracicaba

notícias

11/10/2019 07h54

Atrasos nos pagamentos de médicos já somam mais de R$1,6 milhão

Situação financeira do Hospital Margarida volta a gerar debates acalorados na Câmara

Compartilhe
João Monlevade - Mais uma vez, a situação financeira do Hospital Margarida pautou a reunião ordinária da Câmara Municipal de João Monlevade e gerou intensas e acaloradas discussões entre os vereadores.
Durante a reunião do Legislativo da última quarta-feira, 9, as dívidas da casa de saúde e os atrasos no pagamento de médicos tomou boa parte do encontro. Quem iniciou os debates sobre o tema foi o parlamentar Belmar Diniz (PT), que afirmou que os atrasos nos pagamentos de médicos e fornecedores têm gerado muita preocupação aos vereadores da Comissão de Saúde da Câmara, já que procedimentos médicos não estão sendo realizados devido à situação. Mas a fala de Belmar gerou mais polêmica quando ele afirmou que, de acordo com a declaração de funcionários da Prefeitura aos parlamentares da Comissão, os repasses de recursos do Governo do Estado têm sido feitos ao Executivo, porém, não chegam ao hospital. “A direção do hospital diz que há atrasos nos repasses de recursos do estado na ordem de 5 milhões de reais, porém, uma funcionária da Prefeitura, que é responsável pela gestão dos repasses, nos afirmou que eles têm sido feitos ao Executivo, porém, não chegam ao hospital. O que está acontecendo com esse dinheiro, então? Onde ele está indo parar? Tem que instaurar uma CPI para apurar o caso? Onde está o dinheiro? Onde foi parar? Isso é um absurdo”, destacou Belmar.
O petista também salientou que há atrasos nos pagamentos da produção de médicos na ordem de R$1,6 milhão, desde março e que algumas intervenções e procedimentos médicos eletivos não estão sendo feitos, além disso, alguns equipamentos importantes não estão funcionando, de acordo com os relatos dos próprios médicos. O vereador também repassou a informação, obtida através da direção do hospital, que a casa de saúde tem a receber o equivalente a mais de R$7 milhões.
O vereador Guilherme Nasser (PSDB), que foi alvo de uma Nota de Repúdio publicada pela provedoria do Hospital Margarida dias atrás, em virtude de suas críticas à gestão da unidade de saúde e do atraso no pagamento dos médicos, foi enfático ao dizer que, a partir do momento que o atendimento à população é afetado, ele, como vereador, deve se pronunciar sobre o assunto. “Não conheço o provedor do hospital e não estou aqui para criticar o seu trabalho. O que digo é que, enquanto o problema for entre a provedoria e os médicos, que eles resolvam por lá, eu não vou entrar, mas, a partir do momento que afeta o atendimento à população, eu vou entrar porque é uma das minhas funções nessa casa”, disse.
 
Mentira
 
O parlamentar Djalma Bastos (PSD) também tocou no assunto e afirmou que falta transparência e a exposição clara da situação do Hospital Margarida. Já o líder do governo municipal na Câmara, vereador Sinval Jacinto Dias (PSDB), esbravejou contra a fala dos colegas e chamou o vereador Belmar de mentiroso, afirmando que seu discurso era maldoso. “O discurso do vereador Belmar é maldoso. É mentira. É um discurso mentiroso. Os repasses não estão sendo feitos pelo governo estadual, eu posso garantir isso. Não houve repasse. É mentira. A Comissão de Saúde dessa casa está de parabéns por apurar o que está realmente acontecendo no Hospital Margarida, mas o vereador está mentido”, afirmou Sinval.

Bom Dia Online- Copyright © 2013. Todos os direitos reservados.

by Mediaplus