Bom Dia - O Diário do Médio Piracicaba

notícias

04/10/2019 08h10

Espaço Democrático: Bom Dia entrevista Carlos Alves

Compartilhe

Ele pega sua câmera (celular) e nos leva a passeios fora da redoma de Carneirinhos. Ele anda pelas periferias, onde o asfalto esfarela, onde o esgoto corre a céu aberto, o mato toma conta e onde vivem os monlevadenses nas piores condições. Ele pega a miséria e esfrega na cara da sociedade, sem efeitos especiais, realidade crua e nua. Em seu grupo MONLEVADE EM AÇÃO ele denuncia as mazelas da cidade, um grupo com mais de 7 mil membros atentos às suas postagens. Ele é Carlos Alves. Um monlevadense legítimo, que nos mostra a vida como ela é. Mas vamos à entrevista:

BOM DIA - Você é pré-candidato a prefeito ou a vereador?
 
CARLOS - Fiquei feliz ao ter meu nome lembrado para prefeito, mas na realidade eu sempre deixei claro para todos que me conhecem, que sou pré-candidato a vereador.
 
BOM DIA - A partir das suas andanças pelo município, você  acha que o Monlevadense conhece Monlevade?
 
CARLOS - Com certeza que não. As pessoas precisam andar pelas periferias para conhecer a realidade.
 
BOM DIA - Como foi a ideia da criação do Grupo Monlevade em ação?
 
CARLOS - O grupo começou para ajudar um senhor com câncer , mas acabou  que tornou-se útil também para que pudéssemos mostrar pra sociedade um outro lado da cidade.
 
BOM DIA - Quais são os objetivos do grupo?
 
CARLOS - Os  objetivo do grupo são em primeiro lugar, ajudar os mais necessitados que nos procuram e também  mostrar a população Monlevadense que nossos políticos abandonaram a cidade, principalmente os que mais precisam. Mostramos uma Monlevade além da propaganda oficial.
BOM DIA - Você sempre faz campanha pra conseguir cadeiras de roda e tratamento médico por intermédio do grupo. Vem obtendo sucesso?
 
CARLOS - Graças a Deus conseguimos muitas doações para ajudar as pessoas. Nem sempre conseguimos, mas tentamos fazendo a nossa parte.
 
BOM DIA - Embora você não seja candidato, se fosse eleito prefeito, qual seria a primeira coisa que você iria fazer?
 
CARLOS - Se eu fosse eleito  prefeito a primeira coisa que iria fazer é preocupar com a saúde do povo, cortar os altos salários e demitir os aposentados,  a maioria dos comissionados e procurar ficar mais próximo a sociedade para saber verdadeiramente as necessidades dos moradores dos bairros. Voltaria o PA para o antigo lugar, procuraria o governo do estado para que a Escola Santana ficasse em poder do Executivo. Abriria uma licitação para uma nova empresa de ônibus coletivo, Passaria o estacionamento Rotativo para prefeitura, E lógico só teria ao meu lado profissionais competentes e em condições de exercer os cargos nos setores certos.
 
BOM DIA - Qual a sua visão do governo de Monlevade. Vê alguns pontos em que as coisas estejam indo bem ou tá tudo muito ruim? 
 
CARLOS - O governo atual  é muito ruim. Não podemos deixar que eles continuem na administração da nossa cidade. Isso é ponto fundamental.
 
BOM DIA - Há pouco tempo, através do grupo MONLEVADE EM AÇÃO, você chegou a convocar uma manifestação  para protestar contra as mudanças no trânsito. Você tem sugestões para melhorar o  trânsito? 
 
CARLOS - Se eu fosse o responsável iria procurar um engenheiro de trânsito no setor de trânsito da prefeitura de Belo Horizonte , traria o profissional até João Monlevade e pediria que ele projetasse uma saída para resolver o problema do trânsito em nossa cidade. E iria exigir um projeto junto a uma maquete e levaria ao conhecimento do povo, tudo às claras. Se fossem necessários viadutos ou outras intervenções, iríamos estudar. Fazer experiências e brincar com o dinheiro do povo é que não dá.
 
BOM DIA - A cidade reclama obras essenciais e a prefeitura não tem dinheiro pra fazer. A solução encontrada foram esses empréstimos. Você é contra ou a favor?
 
CARLOS - Sou contra. De que adianta pegar esse dinheiro e depois fazer esses serviços mal feitos, como foi o caso do astalto no Sion e em outros pontos da cidade? Isso é rasgar dinheiro público. Fazer uma dívida para a população Monlevadense pagar e depois jogar o nosso dinheiro fora como estão jogando para mostrar que estão trabalhando ou para fazerem politicagem, claro que não aprovo esse empréstimo.
 
BOM DIA - Como você avalia a política na cidade. Acha que a tendência do povo é mudar ou deixar do jeito que está?
 
CARLOS - Se Deus quiser espero que os eleitores tenham acordado para realidade. Precisamos trocar todos, seja no executivo e no legislativo da nossa cidade.

Bom Dia Online- Copyright © 2013. Todos os direitos reservados.

by Mediaplus