Bom Dia - O Diário do Médio Piracicaba

notícias

06/09/2019 08h49

ArcelorMittal toma medidas para diminuir o número de carretas na Getúlio Vargas

Carretas estacionadas de maneira irregular continuam gerando reclamações e polêmica

Compartilhe

As diversas carretas e caminhões estacionados pelas principais ruas e avenidas de João Monlevade continuam gerando reclamações da população, de motoristas de veículos de passeio e também dos próprios caminhoneiros, que alegam não ter onde estacionar os veículos.

De acordo com as reclamações, há carretas e caminhões estacionados pela cidade inteira, principalmente nas proximidades do Posto Longana, nas avenidas e ruas do trecho que compreende o bairro Belmonte. Moradores e trabalhadores da região reclamam que os veículos de grande porte, além de espalhar muito minério no local, ficam estacionados em frente às residências e estabelecimentos comerciais, o que prejudica o movimento e torna os lugares perigosos. “Muitos param em frente às lojas e retiram toda a visibilidade do estabelecimento, o que prejudica o movimento. Além disso, muitos clientes reclamam, pois não têm onde estacionar. O melhor seria direcionar para um local mais apropriado, um estacionamento”, desabafou o comerciante Elson Madureira.

Alguns motoristas de carros pequenos e motociclistas que trafegam pelo trecho também reclamam do perigo para o trânsito local, já que o mesmo fica prejudicado com as carretas estacionadas nos dois sentidos da avenida Getúlio Vargas, próximo ao prédio da Secretaria Municipal de Saúde. Em horários de pico, o fato gera tumulto no trânsito.

Já os caminhoneiros alegam que a empresa ArcelorMittal ficou de limpar uma área no bairro Baú para utilizá-la como estacionamento para os caminhões e carretas, mas, segundo alguns deles, o serviço ainda não foi realizado. “Não somos culpados, estamos todos aqui a trabalho. Infelizmente, não temos onde estacionar, já que o pátio do posto fica cheio a partir das 7 da manhã. Muitos estão sendo multados por estacionaram nas avenidas, mas não temos onde parar”, desabafou um caminhoneiro que preferiu não se identificar.

Questionada pela reportagem sobre a área do Baú, a ser cedida para servir de estacionamento para as carretas e caminhões, a Assessoria de Comunicação da siderúrgica ArcelorMittal Monlevade informou que não está prevista a cessão de área no bairro Baú para estacionamento de carretas. O que está sendo feito é a utilização de uma área da empresa no Baú para estacionamento de algumas carretas quando não há disponibilidade no posto Longana. Ainda segundo a assessoria, a empresa vem tomando algumas medidas para reduzir a quantidade de carretas que ficam estacionadas no Posto Longana e que eventualmente estacionam ao longo da avenida. Entre as ações tomadas recentemente está a transferência do ponto de apoio de algumas transportadoras para outros locais, como o Posto Marfim, por exemplo. Outra iniciativa recente foi uma campanha de conscientização de todas as empresas transportadoras sobre a fiscalização de veículos estacionados em locais proibidos. Esta ação foi desdobrada pelas empresas junto aos seus motoristas. “Vale ressaltar que estas ações abrangem apenas veículos e transportadoras que atendem a Usina e não contempla as outras carretas que estão a serviço de outras empresas”, destacou a siderúrgica.

Foto: Bell Silva

Bom Dia Online- Copyright © 2013. Todos os direitos reservados.

by Mediaplus