Bom Dia - O Diário do Médio Piracicaba

notícias

09/08/2019 09h31

Espaço democrático: Bom Dia entrevista Railton Franklin

Espaço democrático: Bom Dia entrevista Railton Franklin

Compartilhe

Nossa entrevista da semana é com RAILTON FRANKLIN. Ele vem sendo cogitado como candidato há algum tempo, perdeu uma eleição por pouquíssimos votos, foi vice-prefeito, sabe como funciona a máquina, tem facilidade de articulação, persistência e bom trânsito pra todo lado.. Mas vamos à entrevista...

CENARIOS/BOM DIA - Vc tem sido persistente e paciente pra esperar a sua hora. Acha que a hora é agora?  

Railton Franklin - Entendo que sim. Participei de cinco campanhas políticas sucessivas, sendo duas para vereador, uma para vice-prefeito e duas para prefeito, sendo bem aceito pela população, com vitórias e com votações crescentes para prefeito. Sinto que tenho capital político próprio e experiência de vida para enfrentar o próximo desafio.

CENARIOS/BOM DIA O que vc sonha para Monlevade? Quais vc considera serem as principais demandas e como pretende atendê-las?

Railton - Percebo que a maioria da população não quer muita coisa, como projetos mirabolantes e falsas promessas. O povo quer uma saúde eficiente e ágil, uma cidade limpa, educação de qualidade e, claro, locais decentes para o lazer nos finais de semana. O gestor também deverá apresentar projetos para atrair empresas, criando mecanismos de incentivos fiscais para atraí-las, ofertando infra-estrutura adequada para se instalarem e gerar emprego erenda.

Percebo, também, a necessidade do aumento do volume de captação e tratamento da água do rio Santa Bárbara, para atender a demanda crescente da população. O trânsito também é uma preocupação em todas as cidades. É preciso investir em políticas públicas para oferecer um transporte coletivo de qualidade, facilitando a locomoção das pessoas. Investir, contratando um projeto profissional para avaliar as alternativas viáveis para melhorar o trânsito. Tudo isso, claro, sendo discutido com os vários segmentos da sociedade, com entidades e com apopulação.

CENARIOS/BOM DIA - O que vc achou de ser vice-prefeito? A experiência foi interessante, ao permitir ver o funcionamento da prefeitura por dentro? O que vc levou dessa experiência?

Railton - Uma decepção. Infelizmente, esse cargo previsto pela Constituição é, muitas vezes, meramente figurativo, com raras exceções. No meu caso, por exemplo, o meu vice será atuante e me auxiliará diretamente na condução do poder Executivo. Ele também será um representante e um servidor dapopulação.

CENARIOS/BOM DIA - O que vc faria diferente do que viu até agora?

Railton - Em um eventual mandato, a certeza que tenho é que faria tudo para ter uma administração técnica, com profissionais certos em áreas específicas e, também, com muita valorização ao servidor público efetivo, respeitando muito a meritocracia. Chega de gratificações sem justificativas que, mesmo sendo legais e previstas, são imorais. Darei todas as condições de trabalho aos assessores, que terão metas a cumprir e serão cobrados os devidos resultados, como em qualquer empresaprivada.

Quero sair do gabinete e ir para as ruas de todos os bairros para ouvir as demandas in loco, sempre acompanhado do secretário de Serviços Urbanos e de Saúde, que são as áreas onde ocorrem as maiores demandas da cidade, agilizando, assim, as respostas às reivindicações. Também pretendo realizar reuniões quinzenais para acompanhar e cobrar os resultados.

No início de um eventual mandato, investiria em uma consultoria técnica para avaliar o “peso” da máquina pública, e faria com toda certeza os cortes necessários e indicados por ela, porque não penso em reeleição.

CENARIOS/BOM DIA - Na área da saúde, o que vc faria pra resolver os principais gargalos da saúde pública no município?

Railton - A saúde é nosso maior patrimônio e não tem preço. Por ser da área há quarenta anos, a valorizo muito e sei a importância de um serviço de saúde de qualidade. Por isso, por mais que façamos o possível, sempre haverá de se fazer mais. A saúde é dinâmica, a tecnologia avança rapidamente, assim como também os custos e exigências da população por qualidade, o que acho muito positivo, pois é um direitoconstitucional.  Faço aqui uma lista de prioridades:

  • Valorizar e ampliar a medicina preventiva, que é eficiente e muito mais barata, ampliando as equipes de ESF por todas as áreas ainda não cobertas.
  • Criar um centro de diagnóstico do município com equipamentos próprios para agilizar os exames para o benefício do tratamento dos pacientes. Exames como mamografia, ultrassom, endoscopia e outros, somando aos exames de laboratório, que já sãorealizados.
  • Criaria um pronto atendimento municipal 24 horas para desafogar o Hospital Margarida, que depois dessa mudança do PA para o hospital, sobrecarregou o mesmo e piorou muito sua situação financeira. Valorizaria e colocaria mais profissionais na rede para atender a demanda criada pela agenda aberta, diminuindo o tempo de espera dos pacientes para aconsulta.
  • Fazer uma despolitização do hospital, apoiando a entrada de um administrador hospitalar sem nenhum vínculo político, para assim realizar as mudanças necessárias e recuperar esse patrimônio que é o HospitalMargarida.

CENARIOS/BOM DIA - Não acha que faltam projetos voltados para o desenvolvimento econômico, para atrair empresas e gerar empregos?

 

Railton - Sim. Faltam profissionalismo e visão de futuro. É preciso um projeto para a cidade e não um projeto de poder pessoal. Temos que investir contratando profissionais da área de desenvolvimento econômico para fazer projetos que se adequem à nossa realidade, criando também mecanismos de incentivos fiscais e infra-estrutura para atrairmos empresas e geração deempregos.

 

CENARIOS/BOM DIA - Ideologicamente, como vc se enxerga hoje? De esquerda ou de direita? Isso por que o seu partido, o PDT sempre foi de esquerda, as vezes mais radical até que o próprio PT.

 

Railton - Considero-me hoje cidadão monlevadense, pois cheguei aqui há 37 anos. Não me causa nenhuma preocupação ser direita ou esquerda. O importante é ter a oportunidade de fazer uma administração para todos os monlevadenses um dia, independente de partido político. A cidade é governada por pessoas, não por um partido, e acredito que todos que tenham a oportunidade, devem fazer o melhor. Estou no PDT há 20 anos e ideologicamente me considero de centro esquerda, sem nenhumradicalismo.

 

CENARIOS/BOM DIA - Você tem um bom trânsito nos diversos segmentos políticos, consegue conversar com todo mundo. Acha que esse pode ser um ponto positivo? De poder buscar apoios dos dois lados, como um candidato agregador?

 

Railton - Acho que conta a meu favor. Tenho amigos em todas as vertentes políticas. A política é muito dinâmica e não podemos ter o receio de mudar sua rota quando necessário for. A política passa e não podemos deixar as paixões do radicalismo político corroer as amizades. Não vale àpena!

Nosso grupo de partidos, chamado de FRENTE AMPLA, conta hoje com nove partidos e está aberto a todas as legendas que queiram participar desse projeto, que tem como prioridade uma João Monlevade melhor.

 

CENARIOS/BOM DIA - Que nota vc daria para o atual governo. Acha que tem acertos? E seus principais erros?

Railton - Desculpe-me, seria muita pretensão e arrogância julgar e dar nota à administração. Sei que fazem o melhor que podem, inclusive nesse momento de turbulência econômica, mas acredito que esse julgamento a população fará com toda a sabedoria eentendimento.

CENARIOS/BOM DIA - Como enxerga Monlevade hoje no contexto nacional e estadual? O PDT não teria dificuldades devido aos perfis dos governos Bolsonaro e Zema, mais liberais e refratários à esquerda?

Railton - Não penso assim. Sempre digo em reuniões partidárias que sou um municipalista convicto. O que quero dizer é que vamos cuidar da nossa cidade com seus problemas, procurando nossas soluções com responsabilidade e trabalho, fazendo, assim, a nossa  parte.Não acredito que nenhum governo, seja a nível estadual ou federal, vai querer prejudicar o município, só porque o prefeito tem outra ideologia e partido político diferente. Afinal, foram eleitos para governar para todos, sem distinção partidária. É o que entendo e que acho que deveria ser.

CENARIOS/BOM DIA - Mesmo integrando um partido de esquerda, vc teria dificuldades em compor com partidos mais de centro esquerda ou mesmo de direita?

 

Railton - Como disse anteriormente, atrás de siglas partidárias existem seres humanos, em sua maioria honestos e bem intencionados. Em um eventual governo, não teria o menor constrangimento em convidar um opositor político para participar da administração, sabendo de sua idoneidade e competência profissional. Só não aceito trocar apoio político por cargos. Nunca aceitei e não será agora que vou ceder a esse tipo de negociata oupressão.

 

CENARIOS/BOM DIA - Vc fez inimigos na política ou conversa com todo mundo?

 

Railton - Sofri com muitas calúnias e difamações em campanhas eleitorais, vindas de pessoas que queriam se beneficiar com cargos oferecidos por adversários políticos. Não os considero inimigos, só os ignoro. Como conduzo minha vida, pessoal e política, tendo como um dos pilares o respeito ao próximo, não posso concordar com ataques difamatórios, mas como disse, apenas ignoro, pois quem pretende governar um município como João Monlevade, tem muito que pensar, ouvir e planejar, não havendo tempo para alimentar esses rancoresinúteis.

 

CENARIOS/BOM DIA - Caso se candidato e seja eleito, como pretende ser lembrado. Que legados pretende deixar?

 

Railton - Quero retribuir à cidade que me acolheu com uma administração transparente, honesta e com muita participação popular. Não estou na política por poder, status, vaidade ou dinheiro. Sou médico há quase quarenta anos e tenho uma família sólida, estruturada, independente, filhas criadas e profissionais, no mercado de trabalho, assim como minha esposa. Não estou na vida política por interesses pessoais, longe disso. Sou um idealista e sonho em contribuir, de forma consistente, para melhorar João Monlevade, pois amo essacidade.

Bom Dia Online- Copyright © 2013. Todos os direitos reservados.

by Mediaplus