Bom Dia - O Diário do Médio Piracicaba

notícias

12/07/2019 08h00

O Canário vai cantar...

ENTREVISTA

Compartilhe

O Cenários essa Semana conversou com Duca Furtado. Ela integra a dupla Dan e Duca que vai lançar essa semana o seu primeiro single e clip que estão dando o que falar. Duca é muito bem articulada e tem a coragem e a inquietude dos grandes artistas.Conversamos sobre a complexidade da gravação do clip, enfim...leiam a entrevista.

CENÁRIOS - O teaser de CANÁRIO canta deixou todo mundo na maior curiosidade. Num primeiro momento, quem tá acostumado com DAN e DUCA cantando samba, podem se surpreender. A composição aponta uma mudança de caminhos ou apenas a anexação de novas possibilidades sonoras?

Duca Furtado - Eu e Dan acreditamos na música de raiz brasileira, nessa imensa família de batuques e sonoridades que faz o cancioneiro popular brasileiro tão rico e vasto.  Samba, baião, ijexá, afoxé, samba de roda, maracatu, jongo, côco, embolada, ciranda, xaxado e quantos outros mais... são todos ritmos primos. Jackson do pandeiro fazia o quê? Clara Nunes interpretava o quê? Jackson fazia um baião/samba de breque/partido alto/embolada , Clara fazia samba de terreiro/enredo/baião/xaxado, pra quem conhece a fundo esses artistas, sabe que o que eles faziam era música brasileira de raiz. O samba toma grande parte do nosso repertório, isso não vai mudar. Mas a música que fazemos, a música que compomos principalmente, não cabe num rótulo só. É música brasileira, é batuque, com muito amor e orgulho.

CENÁRIOS - Vcs já vem produzindo faz algum tempo. Pudemos acompanhar pela net várias fotos lindas, de lugares maravilhosos. Vcs produziram o audio onde? E a produção do VT esteve a cargo de quem?

Duca Furtado - O áudio foi captado, mixado e masterizado pelo Henrique Staino, músico da Banda Graveola, em BH. Tivemos participações incríveis como o baixista Aloízio Horta, Pedro Gomes na viola, o percussionista Juninho Ibituruna e Grupo Triar que agora estão em turnê na Europa. O arranjo vocal foi feito pelo Zeca Rodrigues, regente do Grupo BeBossa que gravou um disco com o Menescal. O Dan ficou por conta do arranjo instrumental e gravou o cavaquinho e o violão da faixa.

O clipe foi produzido pela Tesoraria Produções, um coletivo de mulheres de BH que tem gravado muita gente boa, como Bia Nogueira e Josi Lopes. Gravamos no paraíso, né? Grande parte foi  gravada na Serra dos Alves, um vilarejo de Nossa Senhora do Carmo, destrito de Itabira.  Lá fomos acolhidos por meu amigo Carlos Cabeça no Serra dos Alves Hostel, um daqueles lugares charmosos, aconchegantes e acolhedores, no meio da mata, perto das trilhas de cachoeiras maravilhosas. Foi o Cabeça que fez as cenas de drone do clipe. Gravamos algumas cenas no hostel , na vila, nas trilhas, rios e cachoeiras. Em Ipoema gravamos no Morro Redondo. Uma semana antes da gravação descobri que a Festa da Santa Cruz, um evento que atrai pessoas de muitos cantos do estado e do país, aconteceria no mesmo fim de semana. Não sei se foi sorte ou benção de Nossa Senhora, só sei que foi lindo.  Essa festa é uma preciosidade... cada comunidade da região enfeita sua cruz, as pessoas caminham cerca de 13 km pela estrada da Mata do Limoeiro em romaria, há uma missa no Morro, Marujada, orquestra de violeiros... é um trem lindo de se ver.

Eu preciso dizer que pra esse clipe acontecer contei com um equipe de colaboradores sensacionais. A Anna Luisa Drummond ficou responsável pela composição dos cenários. Quase todo o meu figurino foi criado e confeccionado por uma criatura maravilhosa chamada Eduardo Moura e também contamos com a Dara Domingues, na produção de moda. Também tenho que falar do apoio que recebemos da Kerlon Eletro, que cedeu os equipamentos de iluminação para as cenas noturnas. Além dessa galera toda, RS, teve muitas outras pessoas envolvidas no processo que mereciam ser citadas aqui, entre elas os cerca de 50 colaboradores da campanha de financiamento coletivo a quem devemos a realização desse sonho, e os tantos outros que apoiaram de outras formas, na divulgação, por exemplo.

CENÁRIOS - A gravação de CANÁRIO CANTA também prenuncia uma mudança no repertório do show de vocês? Com entrada de outros ritmos, outros batuques?

Duca Furtado - Na verdade já fazemos outros ritmos há uns anos. Tocamos Dominguinhos, Luiz Gonzaga, alguns toques de maracatu, frevos, várias cirandas. O próprio gênero samba é tão vasto, que é difícil dizer até onde vai o limite do samba. Samba enredo, canção, de breque, partido-alto,de roda, samba-choro, dolente, afro-samba... vixi! Sérgio Sampaio me cai perfeitamente pra responder essa pergunta : “Eu por mim queria isso e aquilo, um quilo mais daquilo, um grilo menos disso...” , no fim das contas “ eu quero é todo mundo nesse carnaval”.

CENÁRIOS - O público do samba aprendeu a amar vocês, pelo resgate e pela sinceridade com que se dedicaram ao gênero. Vcs continuarão a ser embaixadores do samba ou se cansaram do estilo?

Duca Furtado - Eu acho que pro Dan e pra mim isso seria impossível. Pesquisamos samba há mais de 10 anos e descobrimos coisas novas e maravilhosas todos os dias. Tocamos samba em casa, quando vamos à praia ou à cachoeira. Fazemos samba com os amigos, sempre. Samba arrepia a gente, faz a gente chorar que nem duas crianças. Jamais deixaremos de fazer samba.

CENÁRIOS - Como está o planejamento do lançamento do single Canário Canta?

Duca Furtado - Então, estamos muito ansiosos e felizes com o resultado. Dia 14 lançamos o clipe no youtube, a faixa no Spotify, Deezer, Itunes, SoundCloud, Amazon MP3... Faremos dois shows de pré-lançamento com exibição do clipe em primeira mão:

dia 12, às 19h, no projeto Jardim Sonoro do Coletivo Altamente em Itabira (Rua Mestre Emílio, 219, bairro Pará)

dia 13, às 16h, no Pesque e Pague João da Mata,no bairro Laranjeiras em João Monlevade.

CENÁRIOS - Vcs estão no caminho certo, no passo-a-passo, single a single...depois de Canário Canta já tem outras músicas no embornal?

Duca Furtado - Várias! A próxima é um samba chamado Teresa em homenagem aos dois bairros boêmios que carregam o nome da Santa, um na capital carioca e outro em BH. A melodia carrega bem pro samba de roda, tem uma pegada super popular e o Dan vai ser a voz principal. Acho que a música é a nossa cara, afinal somos esse encontro Rio x Minas, somos bons boêmios e amamos arte e cultura popular. Devemos gravar o clipe em BH e no Rio, como não poderia deixar de ser. Em breve teremos muitas novidades!

CENÁRIOS - O que vc pode adiantar sobre o lançamento do clip? Como será?

Duca Furtado - Em Itabira o projeto Jardim Sonoro já tem um molde, essa é terceira edição. Eles já receberam o Triar (que fez as vozes da faixa e participou do clipe) e o Coladera, na minha concepção uma das melhores bandas atuando no Brasil hoje. Uma honra ser a atração dessa edição e lançar o clipe lá. É um show pra um público menor, mais acústico, intimista mesmo. A casa abre às 19h, o show começa às 20h e termina às 21h. Preparamos um repertório especial, novo, incluindo as autorais “Teresa” e “De São Salvador a São Sebastião”. No final do show faremos a exibição do clipe e bateremos um papo com o público. A casa tem um bar muito legal, onde as pessoas podem consumir bebidas e pratos.

Já em João Monlevade faremos um evento completamente diferente. Vai ser uma roda de samba, um show bem animado com exibição do clipe em um dos intervalos. Esse não foi planejado pra ser um lançamento, é um show especial (raras vezes tocamos com banda completa em JM) numa casa que gostamos muito e que já tinha sido marcado pra essa data. Como as cidades são perto uma da outra, quem quiser pode até ir nos dois e aproveitar dois shows completamente diferentes.

Bom Dia Online- Copyright © 2013. Todos os direitos reservados.

by Mediaplus