Bom Dia - O Diário do Médio Piracicaba

notícias

24/05/2019 12h24

DIZARMEM OS ESPÍRITOS ...

DIZARMEM OS ESPÍRITOS ...

Compartilhe
O Cenários dessa semana conversou com o cantor e compositor JULIO SARTORI, da banda DIZARM. Eu brinquei com ele: não tem medo do Bolsonaro achar que a banda é subversiva? Por propor DIZARMAMENTO? Mas brincadeiras à parte, o DIZARM tem um trabalho consistente, músicas próprias reflexivas e muita credibilidade no médiopiracicaba. Mas vamos à entrevista.
 
CENARIOS - Júlio, como a musica entrou na sua vida?
 
Julio Sartori -  Conforme relatos de minha mãe, desde quando tinha dois anos, ja achava ruim quando alguém interrompia minha visão quando tinha algum artista se apresentando na TV. Sempre gostei de música, aos 8 anos entrei no Coral da Igreja organizado por Dna. Nozinha de Rio Piracicaba. Aos 10 anos ouvia todos os discos de meu tio durante as minhas ferias. Eram as raridades brasileiras. Carlos Alexandre, Agnaldo Rayou, Amado Batista e outros mais. Mas a primeira paixão e introdução ao Rock foi quando ouvi Led Zeppelin aos 11 anos. Foi amor a primeira vista. Desde então o Rock faz parte de minha vida.
 
CENARIOS - Vc teve muitas bandas? Vários projetos musicais?
 
Julio Sartori -  Tive poucas bandas, uma em São Paulo, um pequeno projeto chamado Recanto dos Anjos, composto por André Freitas, João Pedro Sartori Godoy e eu, ambos com 8 anos e a Banda Dizarm que foi formada em 2008.
CENARIOS - Como surgiu a banda Dizarm? Foi com esse nome mesmo?
 
O que inspirou o nome Dizarm?
 
Julio Sartori -  Inicialmente Marcelo Sadam  havia me chamado para cantar em uma apresentação que ele iria fazer na Escola Daniel Bahia. A partir deste momento conversando com Bahia decidimos montar a Banda e iniciamos nossa trajetória musical convidando Fabio Sartori na bateria, Betinho Canazart no Baixo, João Freitas no violão, Bahia na Guitarra e Marcelo na guitarra base. Para a escolha do nome nos reunimos e fizemos um brainstorming de nomes, até que surgiu o nome Desarme, que ficou sendo utilizado durante 5 anos. Depois decidimos passar para o nome Dizarm, mantendo a mesma sonoridade do nome anterior porém, escrito de outra forma. O nome Dizarm, tem tudo a ver com as letras e ideias de minhas composições musicais. Precisamos nos desarmar emocionalmente para convivermos em harmonia uns com os outros.

 
CENARIOS - Vc acha que existe público pro rock?  Rock não virou ritmo de tiozão?
         
Julio Sartori -  Sim com certeza tem publico para o Rock. Nos anos 80 o rock fazia sucesso em quase todo Brasil, depois foi substituído pelo sertanejo, após uma boa estratégia da mídia. Infelizmente uma boa parte de nós, somos bastantes influenciados pela mídia. O rock é muito apreciado pelas diferentes gerações. Vejo crianças que preferem o rock como pessoas mais velhas que mantém a fidelidade neste estilo.
 
CENARIOS - Em suas letras vc trabalha temas psicologicos. É o rock no divã?
 
Julio Sartori -  Os temas psicológicos ja vem sendo tratados no meio artístico há muitos anos. Uma das bandas que me encantou foi Pink Floyd no filme The Wall,. Como foram criativos em tratar assuntos tão sérios e importantes em suas composições musicais. Nas minhas composições procuro destacar os efeitos do medo, da insegurança e da dependência afetiva nas relações pessoais. Vejo que deixamos de ser felizes por estarmos focados somente nos pontos negativos de nossas ações, focamos apenas na falta de dinheiro, na doença que poderia ter, na falta de emprego e esquecemos que temos uma mente poderosa que se bem utilizada poderá transformar a vida de cada um. Como foi dito há séculos atrás, somos o que pensamos. Tento passar estas ideias nas minhas letras.
 
CENARIOS - Como vê a situação do pais. Resistência ou resiliência?
 
Julio Sartori -  Nós temos um Governo resiliente contra uma pequena e poderosa massa resistente, que acostumou-se a se beneficiar às custas de muitos. Espero que a Consciência Divina nos envolva e o Brasil possa crescer e evoluir sem as amarras da corrupção
 
CENARIOS - O Dizarm tem musicas novas no forno? O que vem por ai?
 
Julio Sartori -  Sim tem muitas músicas para serem lançadas, e espero em breve estar realizando o lançamento das mesmas. As novas musicas seguem um estilo baseadas no Grunge e rock alternativo.
 
CENARIOS - Vc acredita na volta do rock? Acha que a galera nova vai se interessar ou o rock vai morrer com a nossa geração?
 
Julio Sartori -  O Rock nunca foi embora. Apenas passou a ter menos destaque nas mídias. Os gestores da mídia mudaram o foco de seus investimentos destacando outras modalidades musicais. Mas parece que o mercado esta saturado e o espaço para o rock esta se abrindo. Mas não sei se vai ser igual aos anos 80. A diversidade de estilos atualmente é bem maior.
 
CENARIOS - Vcs fazem uma media de quantos shows por ano?
 
Julio Sartori -  Tivemos que tirar o pé do acelerador devido a alguns projetos profissionais de um dos integrantes da banda. Mas agora estamos de novo na estrada. Fizemos um show dia 11 de maio no Shine Crazy e temos um show marcado para julho, no festival de inverno da UFOP na praça do Povo em João Monlevade. Estamos agendando com outros empresários, mas ainda não fechamos nossa agenda.
 
CENARIOS - Quem compõe o Dizarm hoje?
 
Julio Sartori -  Na bateria meu irmão Fábio Sartori, No baixo Betinho Canazart, na guitarra e back vocal Marcelo Sadam e na guitarra solo Fabricio Batata.
 
CENARIOS - Deixe Contatos para quiser contratar ou interagir
 
Julio Sartori -  Para shows podem ligar para os números 31 98228.1676 com Marcelo ou no 31 98885.9468 com Julio. Vocês podem nos curtir no Face @bandadizarm e no Instagran @dizarmoficial

Bom Dia Online- Copyright © 2013. Todos os direitos reservados.

by Mediaplus