Bom Dia - O Diário do Médio Piracicaba

notícias

27/04/2019 23h29

Conheça a Expedição Piracicaba Pela Vida do Rio

De Ouro Preto a Ipatinga, em 11 dias, por água e por terra

Compartilhe

O Tribuna do Piracicaba - A Voz do Rio com apoio do CBH Piracicaba, realizará entre os dias 26 de maio a 5 de junho de 2019, a EXPEDIÇÃO PIRACICABA - PELA VIDA DO RIO, que percorrerá o rio, da nascente em Ouro Preto até sua foz em Ipatinga. Junto à Expedição está a UNIFEI, responsável pela Coordenação Técnica Científica com o objetivo de elaborar um diagnóstico atualizado da bacia do Piracicaba. O projeto, além da mobilização social sob coordenação da UEMG, nas 21 cidades da bacia; fará a entrega de mais de 2.500 diagnósticos de propriedades rurais e mais de 1.500 CAR (Cadastro Ambiental Rural) através do Projeto Rio Vivo. Além disso, produzirá filmes documentários de 45 e 16 min; filme publicitário de 3 min; teaser´s de 45 segundos; exposição de fotografias virtual e itinerante; revista com a participação de cada cidade e dos parceiros; livro-relatório técnico científico com a descrição dos trabalhos e conclusões da equipe técnica. O projeto já conta com o apoio da SEMAD / ANA / FIEMG / CBH Doce / CBH Velhas / PMMG / MPMG / AMEPI / AMVA / FÓRUNS NACIONAL E MINEIROS DOS CBH´S.

Descrição

A EXPEDIÇÃO PIRACICABA - PELA VIDA DO RIO que acontecerá no período de 26 de maio a 5 de junho, percorrerá o rio, da nascente em Ouro Preto até sua foz em Ipatinga. A ideia é mobilizar as cidades da bacia em prol da revitalização do rio e colher dados e levantar informações para fazer um comparativo com os trabalhos desenvolvidos pelo CETEC, em 1986, os da Cooperação Franco Brasileira (1989) que constaram, basicamente, de um monitoramento da qualidade da água (sob o enfoque dos parâmetros físico-químicos), os da UFMG de 1993 que iniciou uma pesquisa multidisciplinar e pela “Expedição Piracicaba 300 Anos Depois”, realizada há 20 anos e por fim demonstrar que a situação da qualidade e quantidade das águas está cada vez mais ameaçada por ações antrópicas que colocam em risco a segurança hídrica da sua bacia, bem como a vitalidade de seu depositário, Rio Doce, que nunca precisou tanto de uma boa contribuição.

O trecho de abrangência da ação, além de focar no rio em si, cobrirá também uma região que é caraterizada por ser uma zona de recarga fluvial fundamental para toda a bacia e seus 800 mil habitantes e que abriga significativos aquíferos que contribuem diretamente para a manutenção do ciclo hídrico da região, como a RPPN Caraça e o recém-criado Parque Nacional Serra do Gandarela.

Junto à Expedição professores, profissionais e estudantes da UNIFEI, que será responsável pela Coordenação Técnico Científica da Expedição farão coletas de materiais e avaliação de parâmetros de qualidade da água em pontos estratégicos do trajeto para elaborar um diagnóstico atualizado do Piracicaba.

Trabalho científico

O Trabalho que será realizado pela UNIFEI contempla:

ÍTEM 1 - qualidade de água – análises dos mesmos parâmetros e nos pontos feitos na expedição de 1999 acrescidos de outros parâmetros com enfoque no IQA.

ÍTEM 2 - uso e cobertura do solo, evolução dos perímetros urbanos e localização das indústrias na Bacia do rio Piracicaba.

ÍTEM 3 - avaliação e cálculo dos parâmetros hidrológicos.

ÍTEM 4 - coleta e análise de sedimentos.

UEMG –Coordenadora de Mobilização Social - Através da matéria “Extensão” do curso de engenharia, professores de estudos sociais e estudantes da UEMG estarão trabalhando na mobilização com os conservadores de água e estudantes de nível médio nas 21 cidades da bacia.

Mobilização

Durante a Expedição, os navegantes e equipe de terra passarão em todas as localidades que compõem a bacia, onde serão recebidos pelas comunidades locais com eventos de cunho socioambiental e cultural. O trabalho se dará em parceria com escolas, órgãos públicos e ONGs coordenadas pela UEMG.

Em cada cidade serão realizadas a entrega de diagnósticos de propriedades rurais e o Cadastro Ambiental Rural, produzido pelo Projeto Rio Vivo – do CBH Piracicaba, além de debates sobre os problemas das localidades, com foco em dois temas – saneamento urbano (ETE) e conservadores de água (ouvir os produtores rurais, atores principais na manutenção do ciclo hídrico).

Início

A jornada está programada para ser iniciada no dia 26 de maio com o lançamento da Expedição na Praça Tiradentes em Ouro Preto, buscando promover uma grande manifestação pelas águas – em parceria com o CBH Rio Das Velhas que é irmão gêmeo do Piracicaba, nascendo na mesma localidade, São Bartolomeu, em vertentes contrárias. No dia 5 de junho a Expedição faz sua última escala, em Ipatinga, onde entidades ambientais irão realizar um grande encontro em comemoração ao Dia Mundial do Meio Ambiente, intitulada “O Piracicaba ainda vive”.

Após o encontro do Piracicaba com o Doce a equipe de navegação se encontra com a de terra e juntos se dirigem a local (provavelmente a antiga estação que está sendo recuperada pela Usiminas - caso ela tenha condições de receber as manifestações na ocasião) onde acontece uma concentração marcando o encerramento da Expedição. Vários movimentos ambientais, ONGs, instituições de ensino e entidades que atuam e se preocupam com a questão socioambiental estarão presentes.

Produtos da expedição

VIDEO –Será registrado em vídeo todo percurso e todas as atividades sendo editados e desdobrados em: Filmes documentários de 45 minutos e de 16 minutos; Filme publicitário de 3 minutos; Teaser´s de 45 segundos.

EXPOSIÇÃO DE FOTOGRAFIAS -Todas as imagens produzidas durante a expedição serão disponibilizadas para o público através de galerias de imagens nos sites parceiros bem como na página da Expedição. Seleção das imagens mais impactantes que serão impressas em formatos especiais para totens e realização de uma exposição itinerante que percorrerá, ao longo dos anos de 2019, 2020, todas as cidades da bacia do Piracicaba, algumas da bacia do Doce e posteriormente em pontos estratégicos do estado.

REVISTA -Será editada uma revista que circulará na bacia com exposição da participação de cada cidade no projeto, bem como espaço para os parceiros - apoiadores e patrocinadores.

LIVRO-RELATÓRIO -Expedição Piracicaba Pela Vida do Rio com a descrição dos trabalhos desenvolvidos e conclusões da equipe técnica. O livro apresentará todos os dados levantados durante os trabalhos da UFMG de 1991 a 1997, a Expedição de 1999 e a Expedição de 2019, produzindo um banco de dados dos últimos 30 anos.

Objetivos

Mobilizar as cidades da bacia em prol da revitalização do rio; apresentar a realidade das condições da bacia aos moradores das cidades que a compõem; promover estudos sociais e técnico científicos desenvolvendo análises da qualidade e volume da água da bacia; coletar materiais e dados para promover um comparativo com os trabalhos anteriores e demonstrar que a situação da qualidade e quantidade das águas está cada vez mais ameaçada.

Especificamente, além da mobilização social, será elaborado ainda um diagnóstico atualizado do Piracicaba, sendo que esse será um dos maiores e mais detalhados levantamentos técnico científico já realizado em uma bacia hidrográfica no Brasil.

Apresentar o risco hídrico que a população de 800 mil habitantes da bacia corre caso não seja efetivamente e urgentemente tomadas precisas e pontuais ações.

Justificativa

A iniciativa se faz necessária e urgente diante do quadro crítico em que a bacia se encontra, sendo que a cada dia o rio vem perdendo volume e qualidade de suas águas. A bacia abastece uma população de aproximadamente 800 mil pessoas, sendo que ele é vital para o abastecimento de todo o Vale do Aço. Deve-se levar em conta que em sua bacia se encontra o maior parque siderúrgico da América Latina. Além disso, o Piracicaba é o mais importante afluente do Rio Doce, que nunca precisou tanto de uma boa contribuição.

Além da mobilização social, registros e o levantamento técnico científico que servirá para promover o comparativo sobre as mudanças pontuais ao longo dos últimos 30 anos, diante a atual tecnologia disponível, o trabalho se tornará um dos mais completos – senão o mais – já feito em uma bacia hidrográfica no Brasil, fornecendo subsídios para uma infinidade de trabalhos e ações, principalmente às Políticas Públicas, voltadas à recuperação da bacia.

Percurso

As equipes da expedição, formada por profissionais da área ambiental e social, cinegrafistas, fotógrafos e jornalistas, entre outros profissionais, percorrerão os 21 municípios que compõem a bacia, sendo uma equipe por terra e outra por água e durante a Expedição, os navegantes e equipe de terra passarão em todas as localidades onde, enquanto os técnicos desenvolvem suas pesquisas, outros profissionais participam de eventos de cunho socioambiental. O trabalho se dará em parceria com escolas, órgãos públicos e ONGs. Em algumas cidades, onde a equipe pernoitará, serão realizados debates sobre os problemas ambientais das localidades, principalmente sobre a necessidade da preservação dos cursos d´água como responsáveis pelas vidas das pessoas.

Roteiro e Detalhamento Das Atividades (previsto)

• 1º dia – 26 de maio (domingo) – Mariana / São Bartolomeu – Ouro Preto

09h:Evento de abertura oficial da Expedição, com ações de mobilização social na Praça Minas Gerais, em Mariana, envolvendo o CBH Piracicaba e o CBH Velhas. Participação de todos os atores da Expedição Piracicaba Pela Vida do Rio, entre participantes, patrocinadores e apoiadores. Presença do Secretário da Semad, Germano Vieira e da diretora do Igam, Marília Carvalho de Melo. Em seguida carreata para São Bartolomeu onde acontecerão atividades de mobilização e visita ao Marco Zero – nascente do Piracicaba, que fica localizado em área de propriedade da Samarco, onde juntamente com pessoal da empresa acontecerá uma solenidade de instalação de um totem demarcando o nascedouro do rio. Pernoite em São Bartolomeu.

• 2º dia – 27 de maio (segunda-feira) – São Bartolomeu / Mariana / Santa Rita Durão / Alvinópolis / Fonseca

07h:Início da navegação / descida pelo leito, seguindo para Santa Rita Durão, passando em áreas de mineração. Equipes iniciam trabalhos de coleta e análises.

 09h:Mobilização em Santa Rita e após deslocamento para Fonseca, distrito de Alvinópolis. Corpo técnico desenvolve trabalhos nos pontos pré-definidos repetindo sempre os mesmos pontos de trabalhos anteriores.

15 h:Mobilização em Fonseca. Equipes de trabalho se dividem, com a científica coletando amostras no Piracicaba e a de registro e mobilização social envolvendo com a comunidade. Em seguida deslocamento para Morro D´Água Quente em Catas Altas.

• 3º dia – 28 de maio (terça-feira) – Catas Altas / Caraça / Santa Bárbara / Brumal/ Barra Feliz e Barão de Cocais

09h:Mobilização em Catas Altas, em seguida visita ao Caraça, nascedouro de inúmeros e importantes cursos d´água. No retorno mobilização em Brumal, Santa Bárbara. 

15h:Mobilização em Barra Feliz, no encontro do rio Conceição com o rio São João, formando o rio Santa Bárbara nas divisas das cidades de Barão de Cocais e Santa Bárbara;

19h:Audiência Pública em Barão de Cocais – Saneamento, assoreamento, barramentos e o futuro das águas. Especialistas convidados além de membros da Expedição.

• 4º dia – 29 de maio (quarta-feira) – Alvinópolis / Rio Piracicaba / João Monlevade

07h:Equipe água parte de Fonseca para Rio Piracicaba, passando pela zona rural passando por Ponte Nova Roça, Guedes, Fundão, Bicas em direção a cidade homônima, Rio Piracicaba.

09h:Encontro da equipe água com a equipe terra para uma grande mobilização na Praça Maria do Rosário Caldeira. Corpo técnico desenvolve trabalhos nos pontos pré-definidos repetindo sempre os mesmos pontos de trabalhos anteriores.

Em seguida equipes continuam a descida até João Monlevade.

15h:Mobilização no estacionamento da Matriz de São José Operário quando acontece o encontro das equipes água e terra com a comunidade monlevadense. Corpo técnico desenvolve trabalhos nos pontos pré-definidos repetindo sempre os mesmos pontos de trabalhos anteriores.

19h:Audiência Pública em João Monlevade – Saneamento, sedimentos e diversificação no abastecimento de água para a população.

• 5º dia – 30 de maio (quinta-feira) – São Gonçalo do Rio Abaixo / Bom Jesus do Amparo e Itabira

07h:Expedição se desloca até São Gonçalo do Rio Abaixo.

09h:Mobilização na Praça Central de São Gonçalo, às margens do rio Santa Bárbara, em seguida expedição se dirige a Bom Jesus do Amparo.

14h:Mobilização em Bom Jesus do Amparo.

19h:Audiência Pública em Itabira – Barramentos e a crise hídrica.

• 6º dia – 31 de maio (sexta-feira) – Bela Vista de Minas / Capela Branca / Nova Era

07h -Expedição segue para Bela Vista de Minas, comunidade rural de Capela Branca.

09h –Mobilização e atividades no encontro do rio Santa Bárbara com o Piracicaba. Corpo técnico desenvolve trabalhos nos pontos pré-definidos repetindo sempre os mesmos pontos de trabalhos anteriores. Em seguida expedição segue para Nova Era.

15h –Mobilização em Nova Era às margens do Piracicaba. Corpo técnico desenvolve trabalhos nos pontos pré-definidos repetindo sempre os mesmos pontos de trabalhos anteriores.

• 7º dia – 1 de junho (sábado) – São Domingos do Prata Antônio Dias / Teobaldo / PERD

07h -Expedição segue para São Domingos do Prata.

09h –Mobilização em São Domingos do Prata e em seguida parte para Antônio Dias.

15h -Mobilização em Antônio Dias. Corpo técnico desenvolve trabalhos nos pontos pré-definidos repetindo sempre os mesmos pontos de trabalhos anteriores. Visita à Lagoa do Teobaldo.

• 8º dia – 2 de junho (domingo) – Jaguaraçu / Marliéria / PERD

07h -Expedição segue para Jaguaraçu.

09h –Mobilização em Jaguaraçu. e em seguida equipes partem para Marliéria.

 15h - Mobilização em Marliéria e em seguida a Expedição se dirige ao PERD quando equipes participam de atividades técnico-cientifica junto ao corpo técnico do parque.

• 9º dia – 3 de junho (segunda) Timóteo

07h -Expedição segue para Timóteo

09h –Mobilização em Timóteo. Corpo técnico desenvolve trabalhos nos pontos pré-definidos repetindo sempre os mesmos pontos de trabalhos anteriores.

15h – Visita as obras da ETE Consorciada entre Timóteo e Coronel Fabriciano.

19h:Audiência Pública em Timóteo com o tema Barramentos e risco de desabastecimento de água.

• 10º dia – 4 de junho (terça) - Coronel Fabriciano Santana do Paraíso

09h –Mobilização na cidade de Coronel Fabriciano. Corpo técnico desenvolve trabalhos nos pontos pré-definidos repetindo sempre os mesmos pontos de trabalhos anteriores.

15h –Mobilização em Santana do Paraíso.

• 11º dia – Ipatinga – Foz do Piracicaba - 5 de junho (quarta-feira) Fim da Expedição

07 h– Saindo de Coronel Fabriciano a Expedição se dirige ao Encontro do Piracicaba com o Doce / Dia Mundial do Meio Ambiente.

09h -Mobilização e encerramento da Expedição. Encontro do Piracicaba com o Rio Doce - Dia Mundial do Meio Ambiente. Corpo técnico desenvolve trabalhos nos pontos pré-definidos repetindo sempre os mesmos pontos de trabalhos anteriores. Fim da Expedição. Realização de grande encontro em comemoração ao Dia Mundial do Meio Ambiente. O ato terá o nome de “O Piracicaba ainda vive”. Ultrapassado o local onde o Piracicaba deságua no Rio Doce, equipes se encontram marcando o encerramento da Expedição com manifestações.

Público alvo

O público alvo é a população em geral da Bacia - especificamente será trabalhado o conservador de água, ou seja, os produtores rurais e ainda estudantes de nível médio. A expectativa de público para os 10 dias de expedição gira em torno de 30 mil pessoas nos locais, entretanto, através da estrutura de mídia e divulgação do evento, com transmissões simultâneas, cobertura das mídias locais, regional, estadual e nacional e com os desdobramentos da Expedição com as veiculações dos filmes, revistas e livro relatório - esse número sobe exponencialmente para mais de 400 mil pessoas, não só na bacia.

Parcerias

SEMAD - Participação do Secretário Germano Vieira no lançamento em Ouro Preto e no encerramento em Ipatinga. Fornecimento de técnico do IGAM e veículo que acompanhará a Expedição. Assessoria de Comunicação da Secretaria Estadual de Meio Ambiente a disposição da Expedição. UNIFEI - Curso de Engenharia Ambiental e Mestrado Profágua fornecendo: 4 professores + 4 estudantes; Laboratórios de Geotecnia, Geoprocessamento, Hidrologia e Saneamento; Laboratório móvel para análises em campo; 2 Camionetes S-10 (4X4), Vidrarias e reagentes para análises. UEMG – Coordenação da Mobilização Social fornecendo professores e cursandos de engenharia. PMMG - Participação da Polícia Militar do Meio Ambiente com viatura 4 X 4 acompanhando a Expedição. FIEMG - Participação junto a mobilização. MPMG - Participação da Coordenadoria de Meio ambiente da Bacia do Rio Doce. AMEPI - Fornecimento de estrutura física para QG da Expedição. AMVA - CBH DOCE / VELHAS - FÓRUNS NACIONAL E MINEIRO DE CBH´S - Apoio na mobilização. PREFEITURAS E CÂMARAS – Apoio com estruturas locais para mobilização.

Bom Dia Online- Copyright © 2013. Todos os direitos reservados.

by Mediaplus