Bom Dia - O Diário do Médio Piracicaba

notícias

14/04/2019 18h25

Catas Altas: Observatório Astronômico pode ter Cenibra como parceira

Prefeitura apresentou proposta de parceria em busca de independência econômica para a cidade

Compartilhe

Enquanto as vizinhas cidades de Mariana e Barão de Cocais patinam na dependência econômica frente à mineração, Catas Altas, fugindo dessa tendência cada dia mais desenhada na região, busca através de parcerias desenvolver projetos para sua independência.

Para tanto a prefeitura vem trabalhando em diversas frentes, buscando diversificar as atividades econômicas do município e uma delas é junto à UFMG com objetivo de implantar na cidade um Observatório Astronômico de Catas Altas – OACA.

Dando sequencia a esse trabalho a administração promoveu uma reunião com a Cenibra quando apresentou o projeto OACA para a empresa e também uma proposta de parceria.

A reunião, que contou com a participação do prefeito José Alves Parreira, do vice-prefeito Fernando Guimarães, de secretários municipais, professores do Instituto de Ciências Exatas - ICEX UFMG, dos vereadores Vanda da Aprovart e Vander Dunga e ainda de Kleber e Marília representantes do Comtur, foi aberta pelo prefeito que falou da importância do projeto para o desenvolvimento e independência econômica de Catas Altas destacando também a atuação da Cenibra no município.

 Em seguida o secretário municipal de turismo, Rodolfo Sanches, apresentou o projeto desenvolvido pela UFMG, através da Fundação de Desenvolvimento da Pesquisa – FUNDEP, em parceria com a Prefeitura Municipal de Catas Altas, que tem o intuito de tornar a cidade uma referência em turismo e destino de visitantes e amantes da astronomia.

UFMG

Também fazendo uso da palavra, o professor do Departamento de Física da UFMG e Coordenador do grupo de astronomia da universidade, Renato Las Casas, apresentou as questões técnicas do projeto dizendo que Catas Altas foi escolhida para sediar a estação de observação “pela boa qualidade do céu e sua proximidade com a cidade de Belo Horizonte”.

Além disso, foi levada em consideração a tendência turística do município ligada ao uso do observatório e a possível expansão da UFMG com a implantação de cursos técnicos para a região.

Custos do empreendimento

Foi apresentado ainda os custos do projeto, estimado em R$7 milhões, sendo R$5,5 milhões em obras do edifício e R$1,5 milhão para equipar o mesmo.

Segundo foi informado na reunião, nesses valores estão inseridos os custos de planejamento e projeto executivo e a construção do edifício e ainda engloba a compra e instalação da infraestrutura móvel necessária, móveis, equipamentos, transporte e instalação do telescópio principal entre outros serviços.

Resultados esperados

O secretário demonstrou também os resultados esperados com a implantação e funcionamento do Observatório, sendo programado para até 2022, transformar a cidade em uma referência de qualidade no turismo e destino para visitantes; até 2024, fazer com que o município seja um dos principais polos de visitação e observação de astros de Minas Gerais; tornar o turismo a principal atividade econômica do município, além de consolidar o trabalho desenvolvido com o trade turístico e fortalecer o elo criado com a sociedade, sendo a geração de renda, capacitação e evolução dos indicadores sociais.

Cenibra no município

Ainda durante a apresentação Sanches fez uma breve exposição situando a Cenibra no município, demonstrando que a empresa possuiu uma área de 5.507.080 de hectares na cidade, ou seja, 23,44% de toda a área total de Catas Altas, explicitando que a parceria solicitada à empresa corresponde a 0,8% desse total – que seria a doação de quatro hectares para instalação do observatório.

Manifestação da Cenibra

A Coordenadora de Comunicação Corporativa e Relações Institucionais da Cenibra, Leida Hermsdorff Horst Gomes e a Analista de Relações Institucionais e Comunidade da Cenibra, Deise Lúcia Dias Santiago, assistiram atentamente a apresentação, elogiando a iniciativa da prefeitura em buscar alternativas econômicas.

Leida Gomes disse perceber o potencial do projeto e que irão analisar a solicitação da prefeitura. Durante sua explanação, Leida desenhou ainda algumas alternativas para a área pretendida, como permuta com o município e até a venda do espaço pretendido com valores simbólicos, pedindo um prazo de 40 dias para poderem levar o projeto à diretoria. 

Parcerias

Além da UFMG e da Cenibra, a prefeitura busca também a parceria da Vale, para que juntos possam viabilizar a implantação desse projeto.

Recentemente o vice-prefeito Fernando Guimarães esteve em reunião com a diretoria da Vale em Belo Horizonte, apresentando o projeto.

Segundo Fernando a Vale viu com “bons olhos” o projeto e ainda elogiou os gestores pela busca de alternativas de negócios para o município.

Fernando disse acreditar na participação das empresas em questão no projeto: “Para as empresas será um bom negócio apoiar essa busca pela nossa independência econômica, foi o que sempre pregaram”, enfatizou.

Benefícios

“A vinda do telescópio irá trazer um benefício gigantesco para nossa cidade. Ele é multidisciplinar, envolvendo diversas áreas, como o turismo e a educação. Além disso, vai envolver nossa comunidade, principalmente nossos adolescentes e jovens que poderão ter mais uma opção de ocupação”, destacou o prefeito José Alves Parreira.

Já o vice-prefeito Fernando Guimarães, mais uma vez destacou a importância do projeto e da participação da Cenibra e disse acreditar no envolvimento da empresa no projeto: “O que solicitamos da Cenibra, quatro hectares de sua área na cidade, o que corresponde a menos de 1%, talvez seja insignificante para ela, mas será imprescindível para o futuro de Catas altas”, pontuou.

Observatório

Quando em funcionamento, este será o maior telescópio para uso educacional da América Latina com 2400 metros de área construída gerido pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

No espaço, estão previstos duas cúpulas para observação, sendo uma delas com tecnologia de acesso remoto pela internet; auditório com capacidade para 300 pessoas; duas salas multiusos com 50 lugares cada uma; estacionamentos para 200 carros e outro para ônibus e vans; terraço descoberto para observação de astros em telescópio portáteis; espaços para exposições e eventos; sala para atividade de física fácil; loja de souvenirs; lanchonete; sala de trabalho administrativo, com infraestrutura para serviços de limpeza, almoxarifado; e dormitórios para pesquisadores e alunos.

Bom Dia Online- Copyright © 2013. Todos os direitos reservados.

by Mediaplus