Bom Dia - O Diário do Médio Piracicaba

notícias

03/08/2018 08h54

ENTREVISTA: O talentoso cantor João Roberto

ENTREVISTA

Compartilhe

O MEDIOPIRA dessa semana foi conversar com o cantor João Roberto, uma das vozes mais impressionantes do Medio Piracicaba. A primeira vez que ouvi o João Roberto cantando na banda Relicário, fiquei de queixo caído. A banda era formada só por músicos excelentes, mas ele se destacava. É difícil encontrar um cantor com uma emissão vocal tão consistente. Muito tempo depois tive oportunidade de conhecer o seu trabalho com a dupla João Roberto e Ronivaldo. Altíssima qualidade. Mas como acompanho o cenário, estou sempre lendo notícias de seus trabalhos em várias frentes, seja como músico solo, com orquestra ou com músicos parceiros. É outro desses operários da música, que toca, dá aulas, faz de tudo um pouco, sempre com muita competência. Mas vamos à entrevista...

MEDIOPIRA - João Roberto, o que vc ouvia na sua casa em sua infância?  O que seus pais ouviam?

JOÃO ROBERTO - Ouvi muito Jessé, Ney Matogrosso, Rafael Rabelo, Cantores de Ébano, Raul, Altemar Dultra, Djavan, Milton entre outros. Meus pais na verdade tirando Djavan que descobri sozinho foram os responsáveis pelos demais.

MEDIOPIRA - Como foi o seu despertar para música? Quando sentiu que tinha dom pra música?

JOÃO ROBERTO - Perdi a visão quase total na pré-adolescência. Meu pai me deu um violão e me ensinou dois acordes e desenvolvi sozinho. E meus pais ficaram sabendo do coral da Funcec o "Arte e expressão". Levaram-me pra fazer um teste, fiz e passei. E canto pela Funcec desde 1998.

MEDIOPIRA - Você chegou a estudar música quando era mais novo ou é autodidata?

JOÃO ROBERTO - Sou autodidata, as revistinhas me ajudaram muito, kkk. Depois tive aulas com Zapata e Lauzin onde tive uma base mais sólida como violonista. Hoje estou terminando a faculdade " Licenciatura em Música" daqui um ano.

MEDIOPIRA - Você teve professores que o instruíram sobre técnicas vocais?

JOÃO ROBERTO - Na verdade não. Fui pelo processo de imitação. Um dos principais grupos que ouvi quando entrei no coral foi o A Capella Company. Onde fui lapidando minha voz.

MEDIOPIRA - Você participou de muitas bandas e formações musicais? Cite algumas pra nós.

JOÃO ROBERTO - Comecei com Arte e Expressão em 1998, logo em seguida fui descoberto por Lauzin no Grupo Encanto, um grupo vocal onde era tenor. Neste grupo Ronivaldo também fazia o mesmo naipe e me convidou pra trabalhar com ele. Assim surgiu a dupla Ronivaldo e João Roberto. Em 1999 ainda fui convidado para ser solista da orquestra da Funcec, onde permaneço até hoje. Tive fora por uns períodos por causa de trabalho, mas, sempre retornando. Em 2005 se não me engano entrei no projeto da banda Relicário onde fui o cantor e violonista do grupo. Um momento de crescimento musical incrível. Depois que o grupo parou comecei no grupo Chora na Rampa. Grupo instrumental de choro onde toquei cavaquinho e cavacolim (cavaquinho na afinação de bandolim) pois não tinha dinheiro pra ter os dois. Depois disso fiquei anos no grupo Enlace (para cerimônia de casamento) com Lauzin no violino e Alexandro Pastorino no sax e flauta. Hoje em dia continuo fazendo cerimonias de casamento, mas, com parcerias diversas dependendo da demanda. Hoje atuo muito com Samuel Dias (violino) em vários eventos e também meu amigo Lorenzo Bandeira (saxofone).

MEDIOPIRA - Você durante um bom tempo formou com Ronivaldo uma dupla muito aclamada. Mas atualmente tem atuado mais solo. Acabou o "casamento" ou a dupla pode retornar?

JOÃO ROBERTO - Sim foi meu maior aprendizado, pois fazíamos de tudo. Casamento, festas, bares, etc. Em 2010/2011 não tenho ao certo a data, Roni me informou que não iria mais continuar com a dupla. Não sei até hoje o real motivo ou se tem um motivo, mas, simplesmente terminou. Ele continua com seus compromissos e da aulas de musicalização em São Gonçalo, onde também sou professor no ensino fundamental 2 desde 2011. Já tivemos momentos em tocamos juntos depois disso, mas não falamos nada sobre um retorno. Da mesma forma que na ultima primavera do Século XX nos encontramos quem sabe nos unimos novamente em outra primavera.

MEDIOPIRA - Você hoje está atuando como cantor da Orquestra da Funcec. Como está esse trabalho?

JOÃO ROBERTO - O trabalho tem sido gratificante. Estamos numa turnê de 20 anos da Orquestra. Dia 14/08 estaremos em Dom Silvério e mês que vem temos Caeté e São Domingos do Prata. É um momento único cantar acompanhado por essa turma.

MEDIOPIRA - Você é um sujeito que trabalha muito. Toca na noite, tem esse trabalho com a Funcec, toca em casamentos e recepções, dá aulas. Dá pra sobreviver com a arte?

JOÃO ROBERTO - Bem! Hoje pela quantidade de eventos que tenho se fossemos só eu e esposa daria sim. Mas, tenho um filho de 12 anos e um de três e pra ter uma vida um pouco melhor tenho um cargo de 40 horas por semana, como professor. Infelizmente não daria pra manter isso só com a música. Estou perdendo a visão novamente e tenho que fazer três cirurgias pagando R$7.000,00 cada. E pra juntar essa grana estou dobrando tudo. Pra dar conta de fazer. Dia 10 agora faço a primeira e em seguida inicio o “junta-junta” pra operar novamente.

MEDIOPIRA – Você também é compositor, já tendo participado de Festivais de Música.  O que acha dos festivais?

JOÃO ROBERTO - Acho fantástico a oportunidade de viver um festival. Fico pensando como algo tão cultural possa estar sumindo tanto em nossa região. Sempre que tenho oportunidade participo. Criei um festival da canção na escola onde trabalho o Fest Cesgra que teve sua quinta edição em junho deste ano. E vejo o desenvolvimento ano a ano dos meus alunos e que tem seu momento profissional com a música. Espero que em João Monlevade com a vinda do Bicentenário Jean de Monlevade faça com que a cidade mantenha viva essa fonte cultural.

MEDIOPIRA - Qual o tipo de trabalho musical que você ainda não encarou mas tem vontade de encarar?

JOÃO ROBERTO - Acho que de concertista de violão. Trabalho com instrumental à muito tempo mas não cheguei em um nível que eu me aceite como tal. Quem sabe agora formando na área me sinta mais a vontade quanto a isso.

MEDIOPIRA - O que você pensa sobre o funk, o sertanejo e os ritmos popularescos?

JOÃO ROBERTO - Acho que tem lugar pra tudo e pra todos. Só não aceito o conteúdo utilizado hoje em dia. Onde não posso deixar meus filhos a vontade pra curtir esses estilos sem antes verificar. Passou do ponto! E o pior é que vejo na boca do povo todas elas. Se a mídia tocasse qualquer outro gênero como estes são tocados ele também seria sucesso. Infelizmente a mídia não vê vantagem nas letras que trazem uma informação, um sonho... Quero voltar a ouvir este tipo de músicas nas rádios. Ainda bem que pude viver tudo isso, e fico triste por ver o caminho que esta sendo traçado. Meus filhos têm a oportunidade e meus alunos também, pois coloco a prova a todo o momento.

MEDIOPIRA - Como você avalia o comportamento do público? Há quem diga que as pessoas estão sumindo da noite e ficando mais em casa, onde tem entretenimento com conforto e ainda fogem da insegurança. Como fazer pra convencer o povo a frequentar mais os eventos culturais?

JOÃO ROBERTO - Ainda temos um público que pensa em curtir o conteúdo das músicas e do artista. Fiz um show mês passado na Estação 59 (lugar impar, de voltar aos tempos da noite), e me peguei pensando: o que tocar? Já estou sem fazer var há um tempo por causa disso. E pensei: vou mandar o que sei que é a tradicional de boteco. Samba, MPB, pop nacional e internacional de 90 pra baixo. Tirando Vander Lee, Lenine e Jorge Vercilo que são um pouco mais jovens pra mim. E a questão da insegurança ao sai existe, mas quando se tem algo de qualidade e lugares onde se sabe que quem esta ali busca o lazer e a boa música se tem a segurança de se sentar ao lado de um desconhecido sem medo.

MEDIOPIRA - Quais são os seus projetos no curto e médio prazo? Tem projeto de autorais? De um CD ou clip?

JOÃO ROBERTO - Tenho vontade de fazer clip de alguma de minhas músicas. Sempre pensei nisso, mas, com o gênero em alta hoje não animei a criar algum projeto. Mas depois da aceitação do público ao meu repertório mês passado reacendeu a vontade de tentar algo.

MEDIOPIRA - Deixe seus contatos para quem quiser conhecer mais sobre o trabalho do João Roberto - fale um pouco sobre sua agenda primeiro... O que vem por aí...

JOÃO ROBERTO - Dia 04 - Festival Jean de Monlevade, dia 11 Casamento em Monlevade; Dia 14 estarei em Dom Silvério com Orquestra; 18 e 25 casamentos. E em setembro agenda cheia com a Big Band e os casamento. Telefone pra contato (zap) 986296807 e vocês me encontram no YouTube com alguns vídeos para conhecer um pouco mais. Desde já agradeço a oportunidade e fico feliz em poder fazer o que amo. Pude juntar isso ao meu trabalho formal (sou professor de música na rede municipal de São Gonçalo) e sou muito feliz assim. Hoje moro ao lado da escola pra fugir da estrada, pois foram anos indo e voltando todos os dias.

Bom Dia Online- Copyright © 2013. Todos os direitos reservados.

by Mediaplus