Bom Dia - O Diário do Médio Piracicaba

notícias

02/06/2017 07h44

Apae pede ajuda da Câmara para projeto de Caminhada Inclusiva

Compartilhe
Os vereadores da Câmara de João Monlevade pautaram as discussões da última reunião do Legislativo, na tarde de quarta-feira (31), no trânsito da cidade e também em pedido de uma lombada, no bairro Baú, para travessia de alunos da Apae. A educadora Dulcinéia Maria Martins, que trabalha na Associação de Pais, foi quem fez a solicitação da lombada. Ela usou a Tribuna Popular durante a reunião e no espaço solicitou mais uma vez, que Setor de Trânsito e Transportes (Settran), faça a instalação do quebra-molas, em frente à rua que dá acesso à Apae.
 
Dulcinéia explicou que o pedido de “socorro” é essencial para a realização do projeto de “Caminhadas Inclusivas” realizadas com alunos, em três dias da semana. As atividades, segundo a educadora, ocorrem na pista de caminhada do bairro Baú e ajudam no desenvolvimento psicomotor e na socialização dos alunos atendidos pela Apae. “Os carros passam no local em alta velocidade e às vezes demoramos muito para conseguiremos atravessar a avenida”, enfatizou.
 
Maio Amarelo
 
Os vereadores repercutiram o pedido da educadora lembrando que a solicitação é antiga. Além disso, os parlamentares aproveitaram o encontro para alar sobre ações do projeto “Maio Amarelo”, que tem campanhas educativas voltadas à conscientização no trânsito. Em João Monlevade, atividades foram realizadas por várias entidades nos últimos dois dias do mês. A ação foi criticada e elogiada.
 
O vereador Antônio de Paula Magalhães (Toninho Eletricista-PHS), pontuou que é preciso investir na educação e conscientização dos motoristas. Ele aproveitou para criticar a falta de atitude da prefeitura quanto à situação de animais soltos pelas vias da cidade. O vereador ressaltou que a questão é preocupante, uma vez que também pode ocasionar vários acidentes de trânsito.
 
Já o vereador Belmar Diniz (PT), lembrou que além da falta de educação por parte dos motoristas, também há a falta de respeito e impaciência por parte dos pedestres que insistem, por exemplo, em atravessar fora da faixa destinada a eles. Carlos Roberto Lopes (pastor Carlinhos-PMDB) criticou o fato de a campanha chamar “Maio Amarelo” e ter ocorrido apenas nos últimos dois dias do mês. Segundo o vereador, de fato as ações são de suma importância, porém deveriam ter sido postas em prática durante todo o mês passado, fazendo jus ao nome do projeto.

Bom Dia Online- Copyright © 2013. Todos os direitos reservados.

by Mediaplus