Bom Dia - O Diário do Médio Piracicaba

notícias

21/09/2016 19h53

Crise: Mananciais que abastecem Itabira estão vazios

Manancial da Pureza, responsável por abastecer 50% do município, está completamente vazio

Compartilhe

O período de chuvas que parece se aproximar de Itabira pode significar um alívio para os mananciais que abastecem a cidade. Nessa terça-feira, 20 de setembro, o Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae) divulgou que os dois principais reservatórios do município, Pureza e Gatos, estão vazios por causa da falta de chuvas e das altas temperaturas, que gera um índice enorme de evaporação e de baixa reposição.

De acordo com o diretor-presidente da autarquia, Jacir Primo, muitas nascentes estão secando e, consequentemente, os mananciais estão com seus volumes de água reduzido. “Em Itabira, temos duas principais Estações de Tratamento de Água (ETA) responsáveis por 75% do abastecimento da cidade: a ETA Gatos (25%) e a ETA Pureza (50%). Nessas duas estações, estamos com geradores para bombeamento emergencial para que possamos equilibrar a produção de água e permitir o abastecimento dos bairros atendidos por estas ETAs”, afirma.

Com o racionamento, segundo o Saae, é necessário interromper o fornecimento da água em todos os bairros, de acordo com a necessidade. A autarquia afirma que a medida é necessária para garantir que todas as regiões possam receber água de maneira justa e adequada. No entanto, atualmente a falta de água em alguns locais deve-se à seca dos reservatórios.

Em agosto deste ano, integrantes do Corpo de Bombeiros Florestal visitaram a ETA Pureza e alertaram sobre o problema da seca. Já naquela data, a captação de água estava sendo feita em um pequeno córrego que passa ao lado do percurso do rio, que está seco. Os níveis de água no local estão muito abaixo do necessário para atender a população. Na época, o comandante do Corpo de Bombeiros Florestal, Lucas Paiva, destacou que as queimadas são um dos fatores que contribuem para que as nascentes sejam extintas.

De acordo com Jacir Primo, apenas o racionamento não é suficiente para resolver o problema do desabastecimento na cidade. Para ele, a contribuição deve vir da população, por meio do uso consciente da água. Jacir Primo ressalta ainda que a situação no município é grave.

“Infelizmente, a falta de água é um fato que pode ocorrer a qualquer momento e em qualquer parte da cidade neste período de estiagem e de baixa produção de água nos mananciais. A população tem que economizar, tem que ter uma reserva para quando um fato como este acontecer, consiga manter seu estoque por mais tempo até que o Saae reestabeleça o fornecimento da água. Se neste momento não mudarmos o nosso comportamento diário com relação ao consumo irracional como, por exemplo, varrer passeios, calçadas, ruas e lavar muros e carros com mangueira, estamos certos de que continuará faltando água. Não economizar neste momento trará sérias dificuldades de abastecimento para todo o município”.

Para economizar água, o Saae orienta a evitar banhos demorados; manter a torneira fechada ao fazer barba e escovar os dentes; não limpar a calçada e o quintal com a mangueira; utilizar balde e pano para lavar o carro; molhar as plantas com regador no início da manhã ou à noite (para reduzir a perda de água por evaporação); eliminar vazamentos existentes no imóvel; e reutilizar água de tanquinhos e máquinas para lavar passeio, área de serviço e quintal, por exemplo.

Fonte: Defato Foto: Thales Benício

Bom Dia Online- Copyright © 2013. Todos os direitos reservados.

by Mediaplus