Bom Dia - O Diário do Médio Piracicaba

notícias

03/02/2016 13h18

Eleições presidenciais nos EUA: foi dada a largada

O processo é longo, mas cada etapa é muito importante

Compartilhe

O processo de seleção do próximo presidente dos Estados Unidos começou, oficialmente, nessa segunda-feira (1), à noite. Os cidadãos do estado de Iowa realizaram as reuniões políticas em suas respectivas cidades. O resultado surpreendente nesse Estado foi favorável para os imigrantes ilegais no pais.

Por que os imigrantes ilegais comemoraram o primeiro resultado, em Iowa? Simplesmente porque o bilionário polêmico, Donaldo Trump, que aparecia no topo das pesquisas, perdeu a liderança temporariamente.

Em sua campanha, Trump vem ameaçando promover uma deportação em massa de todos os imigrantes ilegais, se for eleito presidente dos EUA. Este público é formado por imigrantes de várias partes do mundo, entre eles, uma quantidade enorme de brasileiros.

Não existe uma estatística exata do número de ilegais nos EUA, mas segundo a diretora executiva do Brazilian Worker Center (Centro do Trabalhador Brasileiro), Natalícia Tracy, o país abriga cinco milhões de famílias mistas, que são aquelas em que têm pelo menos um membro ilegal (chamado de indocumentado), mas que, em geral, o filho é nascido nos EUA.

Somando esse número com os demais ilegais no país, a quantidade de imigrantes ilegais nos EUA chega perto dos 15 milhões de pessoas.

 

As reuniões políticas de Iowa

Diferentemente do Brasil, nos EUA existem apenas 2 grandes partidos políticos: Republicano e Democratas. Assim, em Iowa, os eleitores inscritos como republicanos tiveram a oportunidade de votar entre os candidatos do seu partido, e aqueles registrados como democratas fizeram, separadamente, o mesmo.

O sistema adotado em Iowa é muito mais demorado do que uma eleição primária, que acontecerá nos demais estados americanos a partir da próxima semana, o desencoraja a participação de muitas pessoas. A reunião pode durar duas ou três horas e começa com discursos dos representantes de cada candidato, na esperança de influenciar os presentes. Depois de todos os discursos, as pessoas podem debater e votar.

Nos dias que antecederam as reuniões em Iowa, todos os candidatos dedicaram uma atenção especial a este Estado e aos seus eleitores. Os resultados foram divulgados imediatamente após a votação e têm atraído uma boa dose de atenção da mídia americana.

 

Surpresa

Os resultados foram surpreendentes. Nas reuniões republicanas, Donald Trump era apontado como favorito. No entanto, o senador pelo estado do Texas, Ted Cruz (cujo pai nasceu em Cuba), ficou em primeiro lugar, com 28% do total de votos. Trump conseguiu 24%, e o senador pelo estado da Flórida, Marco Rubio (cujos pais imigraram de Cuba), fez muito melhor do que o previsto, vindo logo atrás de Trump com 23%. Todos os outros candidatos republicanos ficaram muito atrás.

Nas reuniões democratas, a ex-secretária de Estado Hillary Clinton (esposa do ex-presidente Bill Clinton) era a favorita. No entanto, ela e um senador pouco conhecido do pequeno estado de Vermont, Bernie Sanders (o único socialista auto-descrito no Congresso americano) ficaram praticamente empatadas, com cerca de 50% para cada.

 

Vão começar as Primárias

O processo eleitoral continua e a etapa seguinte são as eleições primárias. Na próxima terça-feira (9), a primeira eleição primária do país será realizada no pequeno estado de New Hampshire, localizado na região conhecida como Nova Inglaterra.

A eleição primária é diferente da uma reunião política de Iowa. Acontece da seguinte forma: cada estado tem a sua data específica para realizar a eleição primária. Nesse dia, em todas as cidades do estado, todos os eleitores vão às urnas, no período das 8h da manhã e 7h da noite. Não ocorrem os discursos e debates, apenas as votações.

Os inscritos como republicanos poderão votar na primária republicana; aqueles registrados como democratas poderão votar na primária democrata; aqueles que não se registraram em nenhum dos dois partidos são chamados de "independentes" e  votarão tanto na primária republicana como democrata.

Em New Hampshire, a participação dos eleitores será muito maior do que em Iowa. No momento, as pesquisas de opinião pública em New Hampshire mostram Donald Trump com uma grande vantagem sobre seus rivais republicanos. A dúvida é quem virá em segundo lugar. Tem muitos especialistas apostando em Marco Rubio.

Do lado democrata, as pesquisas em New Hampshire mostram o socialista Bernie Sanders com uma grande vantagem sobre Clinton.

Essas primárias servem para selecionar os delegados para as convenções partidárias, que serão realizadas no próximo verão, em preparação para a eleição real, em novembro.

 

As Convenções

As Convenções Nacionais dos dois grandes partidos será no mês de agosto. Cada estado envia para a Convenção um número diferente de delegados, que varia, por exemplo, de acordo com a sua respectiva população. Esses delegados escolhem o candidato do seu partido.

A campanha presidencial começará após as convenções, quando haverá apenas um candidato do Partido Republicano e um candidato do partido Democrata. A eleição será em novembro próximo.

Nos EUA, o presidente não é eleito por maioria do voto popular nacional. Os estados realmente elegem o presidente. Cada estado tem um número de votos (chamados de "votos eleitorais") com base em sua população. O candidato que obtiver a maioria dos votos populares em cada Estado recebe todos os votos eleitorais daquele Estado. O candidato que obtém a maioria de todos os votos eleitorais expressos torna-se presidente. Isso quase sempre corresponde ao voto popular nacional, mas às vezes não. Por exemplo, na eleição de 2000 o presidente, George W. Bush foi eleito presidente porque ele recebeu a maioria dos votos eleitorais, mas na verdade teve menos votos populares em nível nacional do que o democrata AlGore.

 

Jornalista Tereza Leite

Bom Dia Online- Copyright © 2013. Todos os direitos reservados.

by Mediaplus