Bom Dia - O Diário do Médio Piracicaba

notícias

25/11/2015 10h40

A mineração de valores

O recado de Ricardo Vescovi, diretor-presidente da Samarco, sobre os valores da mineração sustentável

Compartilhe

NOTA - O Bom Dia encontrou essa preciosidade na Revista Ecológico do Hiram Firmino. É uma longa entrevista com o presidente da Samarco - Ricardo Vescovi, em junho de 2014. Vale destacar que a Samarco levou a estatueta de “Melhor Parceiro Sustentável” no II Prêmio Hugo Werneck de Sustentabilidade & Amor à Natureza, em 2011.

Vejam a distância do discurso e da realidade

Entrevista 

A ocasião foi emblemática, a plateia inspiradora e o resultado emocionante. Essa combinação de elementos se deu na reunião da Associação de Dirigentes Cristãos de Empresa (ADCE/MG), no dia 21 de maio, na sede da Fiemg, em Belo Horizonte. No que era para ser apenas um almoço-palestra com o tema “Samarco e as práticas de sustentabilidade”, o diretor-presidente da empresa, Ricardo Vescovi, superou as expectativas. Ao recontar a trajetória da mineradora, ele reafirmou sua fé na humanidade e saciou o público com fino alimento para a alma: a certeza de que valores como respeito, integridade e verdade, mais o compromisso com a educação, têm o poder de tornar as pessoas e o planeta melhores. Confira:

Longevidade

“A discussão sobre sustentabilidade gira frequentemente em torno de números. Mas, o que quero contar aqui hoje é a história que está por trás do crescimento da Samarco. Mostrar como a empresa consegue, há quase 37 anos, sustentar-se, sustentar o seu crescimento e progredir. Ser longeva numa realidade de país e de mundo que muda ao longo do tempo.”

História

“Temos uma história muito bonita. Fundada em 1973, a Samarco começou a operar em 1977. No início, não era mais que o sonho de explorar e tratar minérios de baixa qualidade, uma prática que, na época, não existia no Brasil ou no exterior. Vocês verão, ao longo da nossa conversa, o quanto esse DNA inicial moldou a trajetória da empresa, que culminou num crescimento bastante acelerado na última década e nos colocou no patamar em que estamos hoje.”

Sociedade

“Antigamente, dizíamos que para ter uma empresa forte precisávamos de acionistas fortes e de um corpo de empregados com muito conhecimento. Hoje, isso não basta. É também preciso ter fornecedores que estejam decididamente com a empresa; uma sólida carteira de clientes, pois não dá para produzir para quem não te quer. E, acima de tudo, temos a sociedade junto conosco.”

“Esse nosso entendimento evoluiu com o tempo e tornou-se fundamental. Quem não compreende bem todas essas dimensões está fadado, cedo ou tarde, ao insucesso.”

Eleita novamente a melhor mineradora do país, a Samarco é a segunda maior exportadora no mercado transoceânico de pelotas de minério de ferro. Equilíbrio

“Somos uma empresa brasileira, fornecedora de minério de ferro para a indústria siderúrgica mundial. Atualmente, somos a 11ª maior exportadora do Brasil. Até o fim deste ano, a expectativa é figurarmos entre as oito maiores. Somos também a segunda maior fornecedora de pelotas de minério de ferro no mercado transoceânico.”

“Somos controlados em partes iguais por dois acionistas: a Vale S/A e a BHP Billiton Brasil Ltda., uma empresa anglo-australiana. Essa ‘fusão’ representa um desafio e tanto para nós, em termos de gestão, pois nos obriga – e incentiva – a buscar sempre o equilíbrio no trato com os dois acionistas. Felizmente, temos conseguido fazer isso com sucesso há 14 anos.”

Missão

“Nossa missão é produzir e fornecer pelotas de minério de ferro, aplicando tecnologia de forma intensiva. Nosso investimento em tecnologia é essencial para otimizar o uso dos recursos naturais, gerando desenvolvimento econômico e social, com respeito ao meio ambiente.”

“Nossa visão não é nada modesta. Há dois anos, quando estabelecemos a visão para os próximos dez anos, a Samarco valia US$ 12 bilhões. Nosso objetivo é ser, em 2022, uma empresa de US$ 24 bilhões. Portanto, temos de crescer.”

“Mas, além de crescer, temos de ser o habilitador do crescimento, ou seja, ser reconhecidos por eles, clientes e sociedade como a melhor do setor. Não se trata de uma visão arrogante. É apenas a visão de uma empresa que tem uma equação de crescimento favorável e que, acima de tudo, sabe que precisa ser ‘a escolhida’ para crescer.”

Discurso x Prática

“Quero chamar a atenção de vocês para os nossos valores. São eles: respeito às pessoas, integridade e mobilização para resultados. Se perguntarmos aos empresários e profissionais reunidos aqui: ‘Vocês respeitam as pessoas, são íntegros e prezam o comportamento ético?’ Todos dirão que sim. Isso é inatacável. Mas, o que nós mais temos debatido na Samarco é: não basta dizer que respeitamos as pessoas e somos íntegros. É preciso mostrar, provar na prática que sim.”

Aprendizado

“É óbvio que falhamos muitas vezes. Mas, temos procurado fazer o nosso ‘para casa’ bem feito. Identificar nossas falhas, aprender e progredir a partir delas. Isso é o que tem feito mais sentido para as pessoas ao longo do tempo, inclusive para os nossos empregados.”

“Tanto que nosso turn over [rotatividade] é baixo, em torno de 2%. Quem entra na empresa quer ficar. Dobramos nossa capacidade produtiva nos últimos anos e, praticamente, metade do nosso pessoal tem menos de seis anos de casa. Aliás, essa tem sido uma experiência interessante. Sempre tivemos muitos empregados com bastante tempo de empresa e a turma nova que estamos contratando tem outra mentalidade, um novo jeito de ver a vida.”

“O que estamos priorizando em nossos recrutamentos são os valores das pessoas. Se os valores delas casarem com os nossos, teremos um casamento muito bonito. Quando isso não ocorre, uma das partes fica infeliz. A história de construção de carreiras na Samarco é muito bonita. Queremos que as pessoas entrem e permaneçam conosco.”

Exemplo

“Por isso, valorizamos mais o que a pessoa é de verdade – e procuramos identificar isso com todas as ferramentas de seleção profissional de que dispomos – do que a contribuição técnica que ela efetivamente pode nos dar. Eu sou exemplo disso.”

“Quando entrei na Samarco, não sabia nada sobre pelotização, processo em que fui trabalhar. O que me valeu foi o fato de os meus valores terem se casado com os da empresa. Foi esse ‘casamento’ que me permitiu superar momentos muito difíceis. Eles só foram e são superados porque a base desse ‘casamento’ é sólida, bem estruturada.”

Paixão

“A mobilização para resultados é outro valor que nos diferencia. Temos paixão por superar resultados. Nesse aspecto, aprendemos que o empregado influencia a cultura organizacional. Mas, que a cultura da empresa também influencia muito a pessoa. Quando alguém entra na Samarco, já sabe que buscamos resultados diferentes, um desempenho que seja melhor a cada ano. Isso nos coloca acima da média do mercado.”

Humildade

“Felizmente, ao longo dos anos, obtivemos vários reconhecimentos. No entanto, mais importante do que listar prêmios recebidos é mostrar as áreas em que estamos sendo agraciados. Recebemos prêmios por transparência, boas práticas sustentáveis e também pelo bom desempenho em saúde e segurança do trabalho. Recebemos todos eles (leia mais a seguir) com satisfação. Mas, sobretudo, com humildade. Afinal, sabemos que o caminho trilhado até aqui está certo, mas, ainda estamos longe de chegar aonde precisamos.”

Aceitação

“Não chegaremos a lugar algum, ou sequer nos manteremos na posição em que estamos, se não tivermos o apoio explícito de todos os stakeholders [partes interessadas]. Dos nossos empregados, acionistas, fornecedores, clientes e da sociedade. Nosso produto, a pelota, é a ‘boutique’ do minério de ferro, custa mais que a commodity tradicional. Portanto, o essencial é sermos ‘desejados’ pela sociedade. Estamos cada dia mais conscientes de que só continuaremos a ser o que somos, e só avançaremos se tivermos a aceitação plena da sociedade.”

Futuro

“É a sociedade que nos escolhe para operar um recurso que é dela, o minério. Somos outorgados o tempo todo. Pelo Departamento Nacional da Produção Mineral (DNPM), quando conseguimos uma autorização de lavra, pela Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad), quando ela nos dá uma licença ambiental para manter ou ampliar nossas atividades. E pela sociedade, que nos apresenta suas demandas e pedidos a todo o momento. Se não formos aceitos por esse conjunto de atores, não teremos futuro. Talvez nem mesmo presente.”

Reputação

“Para organizar o nosso entendimento de como devemos atuar, escolhemos uma palavra-síntese: reputação. Todos a conhecem, mas muitos a interpretam de forma errada. Pensam que reputação é propaganda, anúncio na TV, outdoor. É muito mais.”

“É uma experiência que não se constrói da noite para o dia. Requer trabalho consistente, por várias décadas, para que as pessoas acreditem no que se diz e nas promessas que se faz. Tem a ver com os valores que praticamos primeiramente com o nosso público interno, antes de levá-los à sociedade.”

Coerência

“A reputação da Samarco se sustenta em quatro eixos: estima, admiração, confiança e empatia. Em torno deles, flutuam práticas que aplicamos e prezamos na empresa: liderança pelo exemplo, desempenho financeiro, busca da inovação, bom ambiente de trabalho, etc. É como se fosse uma mandala, que vamos girando e aplicando em todos os processos.”

“Usamos metodologia isenta e aplicada mundialmente para mensurar a nossa reputação. Hoje, ela chega a 71,6%. Esse é um índice considerado ‘forte’, se comparado, por exemplo, ao do setor de mineração no Brasil hoje, que é de 55,6%.”

“É essa reputação positiva que fez a Samarco enfrentar tempos difíceis, crescer e chegar até aqui. Uma caminhada que envolve coerência entre a prática e o discurso, sustentada em valores que praticamos e remetem ao nosso DNA.”

Identidade

“Nossas pesquisas de clima também comprovam a importância dos valores que praticamos. E isso fica muito claro quando avaliamos um item: a identidade que os funcionários têm com a empresa. É difícil de explicar, sempre que falo disso eu me emociono. Afinal, identidade é algo muito pessoal. No nosso caso, significa a pessoa se identificar com a empresa a ponto de ‘entregar’ um resultado na maioria das vezes superior ao que é paga para executar. Vai muito além do salário. E a gente só faz isso com quem a gente se identifica.”

Confiança

“Esse nível de satisfação e motivação só é alcançado porque estamos sendo capazes de desenvolver confiança. Você só se entrega de corpo e alma a alguma causa ou a alguém em quem realmente confia. Essa constatação vale tanto para a vida profissional quanto pessoal. Esse é o maior ativo da Samarco. Um ativo difícil de medir, fácil de sentir e impossível de transmitir a vocês. Eu poderia ficar aqui o dia inteiro falando sobre identidade, sobre construção de confiança.”

Verdade

“Em função da nossa situação geográfica – com unidades industriais em Ouro Preto-Mariana (MG) até o Espírito Santo – tivemos de aprender a nos relacionar verdadeiramente com os diferentes públicos. Daqui até lá, passamos por 29 municípios e 81 comunidades. Temos 840 mil pessoas vivendo ao longo do nosso mineroduto. Nosso desafio, portanto, é nos relacionar: mostrar a cara da empresa a essas pessoas todos os dias. Não apenas quando temos um projeto de expansão.”

“Isso nos obriga – e motiva – a aperfeiçoar o saber ouvir, o estar presente. Dizer às pessoas: ‘Estou aqui, quero fazer parte desse lugar com você, saber como melhorar a nossa convivência’. Temos experimentado isso em momentos tensos e em outros mais lights, sempre buscando a verdade.”

Relacionamento

“Nessa troca de experiências, aprendemos que a verdade não está em uma pessoa apenas; muito menos com a empresa. Esse tipo de posicionamento foi bastante comum nas organizações nas últimas décadas – e se mantém até hoje em algumas. É claro que erramos em alguns momentos, mas, fazemos de tudo para não ser arrogantes.”

“Aprendemos que o ideal é a multisetorialidade, ter sempre muita gente na mesa de discussão. No relacionamento com as comunidades, envolvemos as prefeituras, os vereadores, o Ministério Público, o juiz da comarca e quem mais puder contribuir. Fazemos isso para que prevaleça não a nossa, mas a vontade de todos. Só assim construiremos algo que seja bom.”

Salvação

“Portanto, meu recado é: fiquemos atentos aos valores. Eles é que irão nos salvar da arrogância. Da ilusão de achar que podemos fazer tudo, que todo mundo tem um preço. Tenho dois filhos – um menino, de oito anos, e uma menina, de seis. Olho para eles com certeza de ter à minha frente dois cidadãos de primeira. Sei que se eu continuar cuidando da educação deles, serão excelentes pessoas no futuro.”

“Como posso achar que a humanidade é ruim, se tenho em casa dois exemplos de pureza e de potenciais cidadãos íntegros? Quem acredita que todo homem tem o seu preço talvez esteja precisando cultivar em sua vida valores que verdadeiramente fazem a diferença. Valores que cultivados e praticados no dia a dia têm o poder de fazer com que as pessoas ao nosso lado também acreditem e mudem.”

Quem é ele

Natural de Vitória (ES), casado e pai de dois filhos, Ricardo Vescovi tem 44 anos e está na Samarco desde 1993. É formado em engenharia metalúrgica pela UFOP, e pós-graduado em Engenharia de Produção pela Universidade Federal do Espírito Santo. Sua trajetória na empresa inclui uma iniciativa pioneira: a criação de uma só diretoria de Operações e Sustentabilidade, substituindo as tradicionais diretorias de Produção e de Meio Ambiente que, ainda comuns na maioria das empresas do setor, invariavelmente brigam entre si, com a questão ambiental sempre perdendo. A adoção desse inovador modelo de gestão valeu à Samarco a estatueta de “Melhor Parceiro Sustentável” no II Prêmio Hugo Werneck de Sustentabilidade & Amor à Natureza, em 2011.

Fonte: Hiram Firmino e Luciana Morais - redacao@revistaecologico.com.br

Bom Dia Online- Copyright © 2013. Todos os direitos reservados.

by Mediaplus